PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Você já se sabotou nas finanças por medo do cancelamento?

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

09/02/2021 04h00

O termo "cancelamento" virou moda desde o ano passado com o Big Brother Brasil e as polêmicas em torno dos participantes. Na edição de 2021, não tem sido diferente: Karol Conká, Lumena e outros participantes com posicionamentos questionáveis têm sido alvo de revolta nas redes sociais.

Como resultado, perderam seguidores, aparecem constantemente nos termos mais falados do Twitter e são julgados por seus erros.

O medo do cancelamento, porém, também afeta as finanças. Muitas vezes, para não sermos banidos de certo grupo social, temos atitudes que são uma autossabotagem com o dinheiro. Separei algumas delas no vídeo acima, bem como na lista abaixo.

Não saber dizer não

Fazemos isso principalmente quando algum amigo ou familiar nos pede algo. Isso é ruim para o bolso porque mesmo que você tenha um objetivo, como economizar, acaba cedendo às saídas e aos pedidos de ajuda. Isso toma seu tempo e seu dinheiro!

Seguir a moda

No vídeo, conto uma história em torno da moda de pessoas que trabalham em startups: se vestir de bermuda e tênis descolado. Todo grupo social tem suas marcas e você até pode gostar delas, mas pense duas vezes se não está consumindo algo só para se enquadrar e não ser cancelado.

Acompanhar um padrão de vida que não é seu

Isso acontece muito entre casais. Se está conhecendo alguém, pode acompanhar a pessoa em viagens e restaurantes, mesmo que não seja um padrão adequado para o seu bolso. O diálogo para chegar a um meio-termo de gastos é a melhor saída neste caso.

Não dividir a conta

O medo de cancelamento aqui é de ser o amigo que quer pagar somente o que consumiu. Se sair e perceber que comprou muito menos comida e bebida que seus colegas, não há problema algum em pagar somente a sua parte e não querer dividir igualmente. Apesar disso, muita gente tem vergonha e receio de pedir por uma divisão justa.

Você já tomou alguma atitude com medo do cancelamento? Comente abaixo ou, se preferir, fale com o Econoweek pelo Instagram ou YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL