PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Econoweek

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fundos Imobiliários ainda são bons investimentos com tanto home office?

César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

10/02/2021 04h00

Crise, coronavírus, home office, fim do auxílio emergencial, desemprego elevado... Essa é uma combinação nada favorável para o brasileiro.

Já para o investidor, esse mix tem causado uma preocupação com resposta pouco clara: como ficarão os investimentos de agora em diante? E os fundos de investimentos imobiliários, mais conhecidos como FIIs?

No vídeo acima, conversamos com Marcos Baroni, mais conhecido como Professor Baroni. Ele é analista CNPI, Analista-chefe de Fundos Imobiliários (FIIs) da Suno Research e professor há 22 anos em cursos de graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos. Vale o play!

Agora, vamos às principais perguntas sobre FIIs e investimentos imobiliários.

Os Fundos de Investimentos Imobiliários são seguros como um aluguel?

Em geral, esses fundos são mais seguros do que um aluguel.

Quando você compra um imóvel para alugar e gerar renda, há alguns riscos: o inquilino deixar de pagar o aluguel, essa vacância perdurar por meses (mas os custos do imóvel continuam), a depreciação natural do empreendimento, além do custo de administrar um imóvel (ou você faz por conta própria ou contrata uma imobiliária, e paga por isso), entre outros.

Já os fundos imobiliários mais populares são um condomínio de investidores que têm no se portfólio ativos que são alguns imóveis ocupados por inquilinos diferentes. Há fundos imobiliários só de shoppings, outros são mistos (com shoppings, hospitais, bancos etc.), mas praticamente todos geram receita de aluguel. O risco de inadimplência e de vacância é diluído entre eles.

Quais as vantagens e desvantagens de comprar fundos imobiliários?

Os FIIs [Fundos de Investimentos Imobiliários] são investimentos de renda variável com gestores profissionais, cujos patrimônios são basicamente imóveis. Ou seja, você ela se torna cotista do fundo de investimento imobiliário, que, em geral, é detentor de alguns imóveis.

Há taxas de administração por esse serviço, o que poderia ser visto como uma desvantagem.

Mas as vantagens são:

  • Comparativamente a comprar um imóvel de fato, o investimento inicial é muito menor (normalmente a partir de R$ 500);
  • É muito mais fácil de se desfazer do investimento;
  • Na maioria dos fundos há diversificação em diversos ativos e inquilinos, diminuindo o risco de vacância e inadimplência;
  • Além de não ter que lidar com a burocracia da administração dos imóveis, já que há uma equipe para cuidar disso.

Fundos imobiliários hoje ainda são bons investimentos?

São bons investimentos, dependendo do seu perfil de investidor e da sua estratégia. Esses fundos não valem, por exemplo, para a sua reserva de segurança.

Os fundos de investimentos imobiliários (FIIs) têm um gestor que escolhe, seguindo alguns parâmetros, quais ativos do mercado imobiliário investir. Esses fundos podem investir em diversos tipos de imóveis, como lajes corporativas, shoppings, hospitais, faculdades, prédios comerciais ou residenciais, entre outros.

Para tirar mais dúvidas sobre FIIs e investimentos imobiliários, assista à conversa ao vivo com o Professor Baroni e faça sua pergunta nesse link.

Nós do Econoweek somos adeptos dos investimentos em FIIs. E você? Conte nos comentários ou fale com a gente pelo nosso canal do YouTube e Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL