PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Cotações

BC estende programa de intervenções no câmbio, mas anuncia alterações

Do UOL, em São Paulo

19/12/2013 07h49

O Banco Central divulgou uma nota na noite desta quarta-feira (18) informando que irá estender seu programa de intervenções no mercado de câmbio, mas com alguns ajustes.

As alterações começam a ser implantadas no dia 2 de janeiro de 2014. Na nota, o BC garantiu que as intervenções vão continuar pelo menos até 30 de junho do ano que vem.

As novas condições colocadas pelo BC são:

1 - haverá leilões de swap (equivalentes à venda de dólares no futuro) de segunda a sexta-feira, quando serão ofertados US$ 200 milhões por dia;

2 - os leilões de venda de dólares com compromisso de recompra serão realizados em função das condições de liquidez do mercado de câmbio; e

3 - sempre que julgar necessário, o Banco Central do Brasil poderá realizar operações adicionais de venda de dólares através dos instrumentos ao seu alcance.

Atualmente, o BC tem ofertado de segunda a quinta-feira 10 mil contratos de swaps por dia, o equivalente a US$ 500 milhões. Às sextas, são oferecidos US$ 1 bilhão em contratos de venda de dólares com compromisso de recompra.

Clique na imagem e entenda como funciona o mercado de dólar

Programa de intervenções

O BC anunciou seu programa de intervenções em 22 de agosto, para tentar controlar a forte alta do dólar. Trata-se da maior intervenção deste tipo desde o estouro da crise econômica, em 2008.

O BC faz leilões de venda de dólares em uma tentativa de segurar a tendência de alta da moeda norte-americana. Com mais dólares sendo ofertados, o preço da moeda tende a cair.

De agosto até o final de dezembro, o programa segue um esquema fixo: são realizados leilões equivalentes à venda de dólares no mercado futuro de segunda a quinta-feira; às sextas, são ofertados dólares no mercado à vista nos chamados leilões de linha, com compromisso de recompra.

Mercados devem ficar menos instáveis

As intervenções diárias no câmbio começaram quando o dólar rondava o patamar de R$ 2,45, considerado inflacionário, por conta das expectativas do mercado sobre o futuro da política econômica dos Estados Unidos.

Com a implantação do programa de intervenções no mercado de câmbio, o BC vem conseguindo estabilizar a moeda norte-americana ao redor de R$ 2,30.

De acordo com analistas ouvidos pela agência de notícias Reuters, o ajuste feito pelo BC nos seus leilões vem em meio às avaliações de que os mercados devem ficar menos instáveis daqui para frente.

Na quarta-feira, o Federal Reserve, banco central norte-americano, anunciou que vai reduzir seu pacote de estímulos econômicos mensais em US$ 10 bilhões (de US$ 85 bilhões para US$ 75 bi), mas que manterá as taxas de juros do país próximas de zero por mais tempo.

A ação do Fed encerrou um longo período de expectativas, que gerou grandes incertezas nos mercados. (Com Reuters)

Clique na imagem e saiba os motivos do sobe e desce do dólar

Cotações