Bolsa fecha em queda de 1%, após duas altas; Vale despenca mais de 7%

Do UOL, em São Paulo

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta quinta-feira (9) com queda 0,99%, a 51.118,46 pontos, após dois dias de ganhos. Na véspera, a Bovespa havia subido 2,26%, a maior alta percentual diária desde 10 de maio.

Apesar da baixa, o índice ainda acumula alta de 5,46% no mês e valorização de 17,92% no ano. 

A queda de hoje foi puxada, principalmente, pelo desempenho negativo das ações da mineradora Vale, que despencaram mais de 7%, e da Petrobras. Essas empresas têm grande peso sobre o Ibovespa. As siderúrgicas também tiveram forte perda no dia.

Vale despenca 7,65%

As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, despencaram 7,65%, a R$ 15,70, a maior queda do dia do Ibovespa.

As ações preferenciais da Vale (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, caíram 4,94%, a R$ 12,50.

Os papéis da mineradora foram influenciados pela queda nos preços do minério de ferro na China. 

Siderúrgicas tombam

Após dispararem na véspera, as siderúrgicas registraram fortes perdas nesta sessão, também influenciadas pela queda no preço das matérias-primas e com investidores negociando ações para embolsar o lucro.

As ações da CSN (CSNA3) tombaram 7,37%, a R$ 7,54, enquanto as ações da Usiminas (USIM5) se desvalorizaram 5,24%, a R$ 1,99.

As ações da Metalúrgica Gerdau (GOAU4) caíram 6,03%, a R$ 2,18, e as ações da Gerdau (GGBR4) tiveram baixa de 4,92%, a R$ 6,18.

Petrobras perde 2,49%

As ações ordinárias da Petrobras (PETR3) caíram 2,49%, a R$ 11,75, e as ações preferenciais (PETR4) perderam 2,24%, a R$ 9,18.

Após alta de 9% ontem, os papéis da estatal foram influenciados nesta sessão pela queda nos preços do petróleo.

BB e Itaú caem; Bradesco sobe

As ações do Banco do Brasil (BBAS3) se desvalorizaram 0,29%, a R$ 17,40, e as ações do Itaú Unibanco (ITUB4) tiveram queda de 0,23%, a R$ 30,46.

No sentido oposto, as ações do Bradesco (BBDC4) subiram 0,16%, a R$ 25,04.

Dólar sobe 1%, a R$ 3,404

No mercado de câmbio, o dólar comercial quebrou uma sequência de quatro quedas e fechou com alta de 1%, cotado a R$ 3,404 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 2,29% e atingido o menor valor de fechamento em mais de dez meses. 

Apesar de subir no dia, o dólar ainda acumula queda de 5,78% no mês e desvalorização de 13,79% no ano. 

Bolsas internacionais

As principais Bolsas de Valores da Europa fecharam em baixa.

  • Alemanha: -1,25%
  • Inglaterra: -1,1%
  • França: -0,97%
  • Itália: -0,81%
  • Espanha: -0,7%
  • Portugal: -0,4%

As Bolsas da Ásia e do Pacífico também fecharam em baixa.

  • Japão: -0,97%
  • Cingapura: -0,65%
  • Austrália: -0,15%
  • Coreia do Sul: -0,14%
  • China, Hong Kong e Taiwan não operaram

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos