Bolsas

Câmbio

Dólar emenda 3ª alta e sobe 1,3%, a R$ 3,196; na semana, moeda ganha 1,14%

Do UOL, em São Paulo

dólar comercial fechou esta sexta-feira (28) em alta de 1,3%, cotado a R$ 3,196 na venda. É a terceira alta seguida. Na véspera, a moeda norte-americana havia subido 0,42%.

Com isso, o dólar termina a semana com valorização de 1,14%. Apesar da alta, especialistas dizem que o momento favorável para comprar dólar vai até a próxima segunda-feira (31).

A moeda acumula, ainda, desvalorização de 1,7% no mês e de 19,03% no ano.

A alta desta sessão foi influenciada pela investigação sobre os e-mails da candidata à presidência dos EUA Hillary Clinton e pelo crescimento acima do esperado na economia norte-americana.

E-mails de Hillary

O dólar acelerou a alta no final da tarde, após notícia de que o FBI abriu nova investigação sobre e-mails da candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, o que poderia arranhar sua candidatura.

Investidores estavam mais cautelosos devido à proximidade das eleições presidenciais no país, marcada para 8 de novembro.

PIB dos EUA

Também influenciou o dólar a divulgação de dados sobre a economia dos Estados Unidos, que cresceu no ritmo mais rápido em dois anos. O PIB (Produto Interno Bruto) norte-americano avançou a uma taxa anual de 2,9% no terceiro trimestre, a maior taxa desde o terceiro trimestre de 2014.

O resultado superou as expectativas de analistas de mercado, o que aumentou as apostas de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) suba a taxa de juros no país em dezembro.

Juros mais altos nos EUA podem atrair para lá recursos hoje aplicados em outros mercados onde as taxas são maiores, como o brasileiro.

Investidores também adotavam cautela antes do encontro do Fed na próxima semana, para o qual não se espera mudança na atual política de juros.

Regularização de recursos

A reta final para regularização de recursos de brasileiros no exterior, que vinha influenciando a queda do dólar no início da semana, perdeu força e não conseguiu segurar a alta da moeda nesta sessão.

"Na minha avaliação, acredito que o principal fluxo da repatriação já aconteceu", disse à agência de notícias Reuters o operador da corretora H.Commcor, Cleber Alessie Machado.

O prazo para regularização termina na próxima segunda-feira (31).

Atuação do BC

Como nas últimas sessões, o Banco Central brasileiro ofertou 5.000 contratos de swap cambial reverso (equivalentes à compra futura de dólares). Todos foram vendidos.

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos