PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Cotações

Dólar fecha a R$ 4,125, menor valor em uma semana; Bolsa sobe 1,8%

Do UOL, em São Paulo

17/09/2018 17h09Atualizada em 17/09/2018 17h57

dólar comercial fechou esta segunda-feira (17) em queda de 1%, a R$ 4,125 na venda, no segundo recuo seguido. É o menor valor desde 10 de setembro, quando a moeda norte-americana valia R$ 4,094. 

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, subiu 1,8%, a 76.788,85 pontos, maior nível em quase três semanas, desde 29 de agosto (78.388,83 pontos). É o segundo avanço seguido da Bolsa.

Na sexta-feira (14), o dólar perdeu 0,69%, a R$ 4,167 na venda, e a Bolsa subiu 0,99%. 

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Leia também:

Ações de Petrobras e bancos sobem

Puxaram o resultado da Bolsa ações de empresas com forte peso no índice, como Petrobras (+3,25%) e os bancos Itaú Unibanco (+2,37%), Banco do Brasil (+3,42%) e Bradesco (+2,85%).

Com valorização de 8,71%, as ações da siderúrgica Usiminas lideraram os ganhos nesta segunda, seguidas pelas da Via Varejo (+7,93%), dona das Casas Bahia, da Gol (+7,29%) e da BRF (+6,64%), dona da Sadia.

Por outro lado, as companhias de papel e celulose Klabin (-1,48%), Suzano (-1,15%) e Fibria (-0,52%) registraram as maiores perdas. 

Trump promete taxar mais a China

O mercado foi afetado por notícias de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve anunciar mais tarifas sobre a importação de produtos chineses. Trump afirmou que vai divulgar as novas taxas na noite desta segunda, após o fechamento dos mercados. 

Cautela com eleições

No cenário interno, investidores continuam atentos à campanha eleitoral para presidente. Na sexta-feira, o Datafolha mostrou o candidato do PT, Fernando Haddad, empatado na segunda posição com Ciro Gomes (PDT) com 13%. Houve crescimento da intenção de votos no petista em relação à pesquisa anterior (9%). Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida à Presidência com 26%.

Já o candidato que mais agrada o mercado, Geraldo Alckmin (PSDB), perdeu um ponto e foi a 9%. Resultados de pesquisas, notícias e boatos sobre candidatos deixam o mercado financeiro agitado, favorecendo a especulação na Bolsa de Valores e no câmbio.

Nesta segunda-feira, a pesquisa CNT/MDA, divulgada no final da manhã, também mostrou Haddad na segunda colocação, com Jair Bolsonaro (PSL) à frente.

Atuação do BC

O Banco Central ofertou e vendeu nesta sessão 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 5,45 bilhões do total de US$ 9,801 bilhões que vencem em outubro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

(Com Reuters)

PUBLICIDADE

Cotações