ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Cotações

Dólar cai a R$ 4,124, menor valor em mais de uma semana; Bolsa também recua

Do UOL, em São Paulo

19/09/2018 17h07Atualizada em 19/09/2018 17h32

O dólar comercial fechou esta quarta-feira (19) em queda de 0,43%, a R$ 4,124 na venda. É o menor valor em mais de uma semana, desde 10 de setembro, quando a moeda norte-americana valia R$ 4,094. 

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, interrompeu uma sequência de três altas e também fechou em queda, de 0,19%, a 78.168,66 pontos. 

Na véspera, o dólar havia subido 0,41%, a R$ 4,142, e a Bolsa havia registrado ganhos de 1,99%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Leia também:

Pesquisas eleitorais

O mercado segue afetado pela divulgação de pesquisas de intenção de voto. Resultados de pesquisas eleitorais, notícias e boatos sobre candidatos deixam o mercado financeiro agitado, favorecendo a especulação na Bolsa de Valores e no câmbio.

A mais recente, divulgada pelo Ibope na noite de ontem, mostrou o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) na frente, com 28% das intenções. É seguido por Fernando Haddad (PT), que se consolidou na segunda colocação, tendo saltado de 8% na pesquisa anterior para 19% agora. 

Investidores preferem candidatos que consideram ser mais comprometidos com o ajuste das contas públicas, e sua primeira opção é o tucano Geraldo Alckmin. Mas, como ele não tem conseguido avançar nas pesquisas, o mercado já tem aceitado Bolsonaro como alternativa a candidatos com perfil mais à esquerda, como Haddad.

Na simulação de um eventual segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, haveria empate em 40%. Na pesquisa anterior, os dois já tinham empate técnico no segundo turno, mas o petista aparecia numericamente atrás.

A semana ainda inclui levantamentos Datafolha (quinta-feira) e XP/Ipespe (sexta-feira).

Guerra comercial EUA-China

O cenário externo, com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, também continuou no foco dos investidores, mas com efeito contido. 

No início da semana, os EUA anunciaram tarifas sobre produtos chineses e a China retaliou, taxando produtos norte-americanos, mas as medidas já eram esperadas.

"Há a percepção de que muita conversa ainda deve ocorrer, podendo-se chegar a um bom termo, evitando uma guerra comercial generalizada. É a visão do copo meio cheio", disse a Sulamérica Investimentos em relatório citado pela agência de notícias Reuters. 

Ação do BC

O Banco Central ofertou e vendeu integralmente 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 6,54 bilhões do total de US$ 9,801 bilhões que vencem em outubro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

(Com Reuters)

Mais Cotações