Topo

Cotações


Bolsa tem maior queda em 2 semanas; dólar sobe e fecha valendo R$ 3,857

Do UOL, em São Paulo

11/04/2019 17h12Atualizada em 11/04/2019 18h07

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, teve o terceiro dia de baixa. O índice fechou em queda de 1,25%, a 94.754,70 pontos. É a maior queda percentual diária em duas semanas, desde 27 de março (-3,57%).

O dólar comercial terminou o dia em alta de 0,86%, cotado a R$ 3,857 na venda. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, se refere ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Petrobras e bancos caem

Algumas das principais ações da Bolsa fecharam em queda nesta sessão, com destaque para a Petrobras, que perdeu 2,71%. Os bancos Itaú Unibanco (-2,32%), Bradesco (-1,59%) e Banco do Brasil (-1,13%) também encerraram o pregão em baixa.

As ações da mineradora Vale ficaram praticamente estáveis, com leve alta de 0,06%.

O grupo de comércio eletrônico B2W (5,32%), dono do Submarino e Americanas.com, liderou as altas do dia, após a notícia de que estaria entre os interessados em adquirir a Netshoes.

100 dias de Bolsonaro e pacote de medidas

Ainda atentos aos desdobramentos da reforma da Previdência, investidores voltaram também suas atenções hoje à cerimônia que marcou os 100 dias do governo Jair Bolsonaro.

O evento, que contou com a presença do presidente e autoridades, foi marcado por uma série de anúncios, incluindo a confirmação de um 13º para os beneficiários do Bolsa Família e a apresentação de um projeto que formaliza a autonomia do Banco Central em relação à Presidência.

Há ainda cautela entre agentes pela possibilidade de a oposição obstruir a votação da reforma da Previdência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) na Câmara dos Deputados. Por outro lado, investidores estão vendo com bons olhos o engajamento mais direto do presidente Jair Bolsonaro na articulação da reforma, tendo recebido lideranças partidárias em seu gabinete nos últimos dias.

Desaceleração global

No exterior, o apetite por risco teve um dia de baixa diante das tensões comerciais e com os bancos centrais de Estados Unidos e da zona do euro reforçando as preocupações com o crescimento fraco.

Atuação do BC

O Banco Central vendeu o lote integral de 5.350 contratos de swap cambial tradicional (equivalentes à venda de dólares no mercado futuro) ofertados nesta sessão. Em nove leilões neste mês, o BC já vendeu US$ 2,408 bilhões nesses contratos. O lote a expirar em 2 de maio é de US$ 5,343 bilhões.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Cotações