Topo

Cotações


Cotações

Dólar cai a R$ 3,922, e Bolsa sobe 1,41%, maior alta em quase 3 semanas

Do UOL, em São Paulo

2019-04-23T17:15:30

2019-04-24T17:10:56

23/04/2019 17h15Atualizada em 24/04/2019 17h10

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou o dia em alta de 1,41%, a 95.923,24 pontos, o maior nível em duas semanas, desde 10 de abril (95.953,45 pontos). É também a maior valorização diária em quase três semanas, desde 4 de abril (1,93%).

O dólar comercial fechou o dia em queda de 0,26%, cotado a R$ 3,922 na venda. É o menor valor em uma semana, desde 16 de abril, quando a moeda valia R$ 3,902. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Frigoríficos sobem quase 7%

As ações dos frigoríficos Marfrig (6,97%) e BRF (6,86%), dono das marcas Sadia e Perdigão, lideraram os ganhos do dia, embalados pelas perspectivas de aumento de vendas de carnes para a China, que sofre com um surto de peste suína africana.

Algumas das principais empresas da Bolsa também fecharam com ganhos. Petrobras subiu 0,87%; Vale teve alta de 1,21% e os bancos Bradesco (2,43%), Banco do Brasil (2,01%) e Itaú Unibanco (1,28%) também subiram. Essas ações têm grande peso sobre o Ibovespa.

Previdência em votação

Investidores concentraram as atenções na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados, que discute hoje a reforma da Previdência. A expectativa é que o parecer seja votado hoje na comissão.

Líderes do governo afirmaram que o texto está pronto para ser aprovado, depois de um acordo feito com partidos da base aliada e do chamado Centrão, que reformulou quatro pontos da proposta original.

Membros da oposição, porém, continuaram trabalhando para tentar atrasar a votação, questionando o sigilo do governo sobre documentos e dados usados para embasar a reforma.

A CCJ, primeira parada da proposta de reforma da Previdência no Congresso, tem a função de dizer se o projeto apresentado pelo governo respeita ou não a Constituição. Prevista para a semana passada, a votação na comissão foi adiada após a base governista temer não conseguir votos suficientes para a aprovação.

BC faz leilão

O Banco Central vendeu o lote integral de 5.350 contratos de swap cambial tradicional, correspondentes à venda futura de dólares, ofertados hoje em operação de rolagem do vencimento em maio. Em 16 leilões neste mês, o BC já vendeu US$ 4,280 bilhões nesses contratos. O lote a expirar em 2 de maio é de US$ 5,343 bilhões.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Mais Cotações