IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Cotações


Lucro da fabricante de armas Taurus triplica em um ano e vai a R$ 4 milhões

Linha de produção da fabricante de armas Taurus, em São Leopoldo (RS) - Diego Vara/Reuters
Linha de produção da fabricante de armas Taurus, em São Leopoldo (RS) Imagem: Diego Vara/Reuters

Juliana Elias

Do UOL, em São Paulo

14/05/2019 16h22Atualizada em 15/05/2019 16h32

O lucro líquido da fabricante de armas Taurus mais que triplicou no primeiro trimestre de 2019 na comparação com o mesmo período do ano passado: o lucro líquido foi de R$ 1,2 milhão nos três primeiros meses de 2018 para R$ 4 milhões no dado mais recente, uma alta de 239,3%.

No trimestre anterior, a companhia registrou prejuízo de R$ 15,2 milhões.

A receita líquida no trimestre foi de R$ 252,1 milhões, alta de 9,1% na comparação com o primeiro trimestre de 2018 (R$ 231 milhões) e de 13,7% na comparação com o trimestre imediatamente anterior (R$ 221,8 milhões).

Entre as razões mencionadas pela empresa para o resultado trimestral estão lançamento de produtos, novos contratos internacionais e a alta do dólar, já que quase 90% de sua produção vai para fora do país.

25 mil armas vendidas no país

As vendas de armas da Taurus no mercado interno somaram 25 mil unidades no primeiro trimestre, o que equivale a R$ 37,7 milhões. O valor representa alta de 8,3% em relação ao mesmo trimestre do ano passado (R$ 34,8 milhões), mas queda de 13,5% na comparação com o trimestre anterior (R$ 43,6 milhões).

No Brasil, de acordo com a Taurus, as vendas são direcionadas para polícias, Forças Armadas e a categoria chamada CAC, formada por caçadores, atiradores esportistas e colecionadores.

EUA recebem 80% das armas

Os principais avanços vieram das exportações, para onde se destina a maior parte da produção.

No primeiro trimestre, do total de 207 mil unidades vendidas pela Taurus, 182 mil, ou 87% do total, foram para outros países. Destas, 168 mil foram para os Estados Unidos. Dessa forma, os EUA respondem por mais de 80% das vendas totais da Taurus, em volume.

A companhia destacou, em seu relatório, "a valorização do dólar médio de 17,1% ante a moeda nacional no período", o que proporcional "um ganho cambial na conversão da receita obtida originalmente em dólares".

A receita com exportações somou R$ 214,4 milhões no primeiro trimestre, alta de 9,3% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado e de 20,3% em relação ao quarto trimestre.

Bolsonaro flexibiliza porte e posse de armas

A Taurus é uma das companhias que devem ser beneficiadas pela política de flexibilização de compra, posse e porte de armas no Brasil pelo governo Jair Bolsonaro, o que vem causando valorização das ações da companhia desde as eleições do ano passado.

Em janeiro, em um dos seus primeiros atos como presidente, Bolsonaro assinou um decreto que, na prática, expande o número de pessoas que podem ter direito de posse de armas --ou seja, de ter uma arma em casa ou no trabalho.

Na semana passada, outro decreto assinado pelo presidente ampliou a quantidade de pessoas que têm direito ao porte de armas no Brasil --ou seja, de transportar armas e andar armadas.

A Taurus afirmou, à época, que as novas regras devem aumentar de forma relevante a procura por armas de fogo e afirmou que está preparada para atender o acréscimo na demanda, bem como a concorrência com o mercado externo.

Bolsonaro fala em cerimônia de assinatura de decreto sobre armas

UOL Notícias

Cotações