PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Cotações

Bolsas dos EUA caem mais de 9%, após suspender sessão; Europa também cai

Do UOL, em São Paulo

16/03/2020 06h41Atualizada em 16/03/2020 15h54

As Bolsas dos Estados Unidos operavam em forte queda hoje, chegando a ser interrompidas por 15 minutos, mesmo após o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) realizar mais um corte de juros emergencial para tentar estimular a economia. As Bolsas da Europa fecharam em queda de até 8%.

Por volta das 15h50, o Dow Jones perdia 9,22%, o S&P 500, 8,56%, e o Nasdaq, 8,75%. As negociações nos três principais índices de ações dos Estados Unidos foram interrompidas por 15 minutos na abertura, a terceira pausa em seis dias, após o S&P 500 cair 8% e provocar uma suspensão automática.

Bolsas da Europa no menor nível desde 2012

As Bolsas da Europa despencaram para o menor nível desde 2012, enquanto a pandemia de coronavírus se alastrava pela Europa. O índice FTSEEurofirst 300 fechou em queda de 4,01%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 caiu 4,9%, com os mercados franceses e espanhóis liderando as perdas depois que os dois países se juntaram à Itália em quarentena nacional.

O índice que acompanha ações de empresas de viagens e lazer caiu mais de 10%. O índice de volatilidade do Euro STOXX 50, conhecido popularmente como "termômetro do medo" europeu, saltou para um recorde de 95,02.

Restaurantes e empresas que operam em turismo, hotelaria e lazer —que já passam por dificuldades— demitirão pessoas que elas poderão recontratar mais tarde, mas inicialmente haverá um aumento no desemprego, o que significa mais um choque para as mentes dos investidores", disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard em Londres.

Veja como fecharam as principais Bolsa europeias

  • Em Londres, o índice Financial Times recuou 4,01%, a 5.151,08 pontos.
  • Em Frankfurt, o índice DAX caiu 5,31%, a 08.742,25 pontos.
  • Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 5,75%, a 3.881,46 pontos.
  • Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 6,10%, a 14.980,34 pontos.
  • Em Madri, o índice Ibex-35 registrou baixa de 7,88%, a 6.107,20 pontos.
  • Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizou-se 4,36%, a 3.670,03 pontos.

Bolsas da Ásia fecharam em queda

As ações da China encerraram em forte queda, após dados fracos sobre a economia do país. A produção industrial da China caiu ao ritmo mais acentuado em 30 anos nos primeiros dois meses do ano.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 4,3%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 3,4%

A Bolsa da Austrália registrou uma queda recorde de 9,7%. O índice do país, o ASX 200, perdeu 537,30 pontos, a 5.002,00 unidades. Os setores industrial e de energia foram os mais afetados, com perdas de mais de 15%. O ASX 200 perdeu mais de 30% desde o fim de fevereiro.

  • Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 2,46%, a 17.002 pontos.
  • Em Hong Kong, o índice HANG SENG caiu 4,03%, a 23.063 pontos.
  • Em Xangai, o índice SSEC perdeu 3,40%, a 2.789 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, retrocedeu 4,30%, a 3.727 pontos.
  • Em Seul, o índice KOSPI teve desvalorização de 3,19%, a 1.714 pontos.
  • Em Taiwan, o índice TAIEX registrou baixa de 4,06%, a 97.717 pontos.
  • Em Singapura, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 5,25%, a 2.495 pontos.
  • Em Sydney o índice S&P/ASX 200 recuou 9,70%, a 5.002 pontos.

(Com Reuters e AFP)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Cotações