Ela começou aos 22 anos entregando 13 marmitas e hoje vende 120 mil pratos

Claudia Andrade

Colaboração para o UOL, em São Paulo

No final da década de 1980, Marcia Mocelin Manfrin era dona de um restaurante, em Londrina (PR), e servia de 30 a 40 pratos feitos por dia. Por indicação de uma amiga, ela, então com 22 anos, passou a preparar também 13 marmitas diariamente para os funcionários de uma empresa de construção.

"Pude entender que esse seria um nicho de mercado na região", diz Marcia, 51.

Abriu a Apetit Serviços de Alimentação em 1989. A empresa cresceu e, no ano passado, faturou R$ 137 milhões. Prevê um crescimento de 14% neste ano. Nem o lucro nem o investimento inicial foram divulgados.

Além da matriz em Londrina, a empresa tem unidades em São Paulo, Curitiba, Salvador e Uberlândia (MG). No total, são 2.000 funcionários.

A Apetit atua hoje em 11 Estados (SP, MG, PR, SC, MS, MT, GO, BA, PE, PB e AL), administrando 180 restaurantes corporativos (dentro de empresas) e servindo mais de 120 mil refeições por dia.

Busca de empréstimos e conhecimentos

Para abrir a Apetit, Marcia vendeu o restaurante e foi atrás de clientes e de um lugar para o funcionamento do novo negócio. Montou uma cozinha industrial.

"Tive de recorrer a empréstimos nesta fase. Quando você não tem capital, sua dose de coragem tem que ser duplicada, triplicada".

Formada em hotelaria, ela disse que também buscou conhecimentos para atuar no setor de alimentação. "Eu não sabia nada, não entendia qual era a legislação, quais eram as exigências do negócio de refeição coletiva".

Hoje, sua empresa também desenvolve outros produtos, como beneficiamento de vegetais e de carnes, tem um centro de distribuição de alimentos e uma fábrica de geleias e conservas artesanais, no Paraná.

Ela decidiu empreender após o nascimento da filha

Ainda adolescente, Marcia havia trabalhado em escritório de contabilidade, cartório e banco. Quando teve a primeira filha, aos 21 anos, decidiu empreender. Abriu o restaurante, onde podia levar a filha, que ficava com ela até o fim do expediente.

Hoje, a filha Pamela, 31, é gerente de estratégia da Apetit, e o outro filho, Lucas, 25, atua na área comercial. O marido de Marcia é sócio da empresa.

Manipulação de alimentos exige preparação de funcionários

Henrique Romão, consultor do Sebrae-SP, afirma que, por ser uma empresa do segmento de alimentação, os funcionários devem estar bem preparados para lidar com a manipulação de alimentos de forma segura.

Sobre a decisão tomada por Marcia de abrir mão do restaurante para apostar no fornecimento de refeições, Romão diz que essa é uma mudança que exige reflexão por parte do empreendedor.

"Analisar o cenário antes de embarcar no novo negócio é importante, porque, se o empreendedor não se dedicar 100% ao novo segmento, pode acabar administrando dois negócios instáveis."

Segundo Romão, outro aspecto importante está ligado ao capital de giro de qualquer empresa que passa por momento de expansão. "A ficha técnica é um documento importante de ser seguido pela cozinha, porque indica o custo que cada tipo de produto, cada ingrediente vai ter. Esse controle evita que ocorra falta de caixa e de estoque".

Romão diz também que as empresas precisam ter conhecimento técnico da área em que se vão atuar e fazer os planejamentos financeiro, operacional, de marketing e estratégico.

Onde encontrar:

Apetit Serviços de Alimentação - http://apetit.com.br/

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos