ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Começou com a lancheira da neta e hoje vende comida em forma de bichinhos

Patrícia Büll

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/01/2018 04h00

Uma lancheira de criança foi a inspiração para um negócio de lanchinhos saudáveis. Quando a neta Micaela, hoje com 3 anos e meio, passou a frequentar a escolinha, o carioca Agnaldo Bezerra, 59, teve dificuldade de encontrar alimentos atraentes e que fizessem bem para colocar na lancheira.

Nasceu assim a Divertindo e Lanchando, no Rio de Janeiro, que vende salgados e doces feitos com matéria-prima integral e orgânica, sem fritura e sem conservantes, e em formatos divertidos: pão de queijo em forma de urso, pastel assado em forma de peixe, bolinho de fubá em forma de borboleta.

"Associar o alimento a algo lúdico torna-o mais atraente para a criança. É sucesso na certa", diz Bezerra. Segundo ele, a neta é o "laboratório" de testes dos formatos e sabores.

Leia também:

A ideia surgiu em 2015, mas o negócio só saiu do papel em março do ano passado, após fazer cursos e pesquisas de mercado com apoio do Sebrae e da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e chegar à conclusão de que faltavam serviços especializados nesse segmento. Bezerra convenceu a mulher, Cristina Lopes, 60, a embarcar no negócio, e hoje ela é a chef.

O investimento inicial foi de R$ 300 mil. Bezerra não informa faturamento nem lucro médio mensal, mas diz que espera recuperar o investimento até 2019.

Vendas online e kits para festas

A Divertindo e Lanchando vende pela internet, diretamente para o consumidor final, e também fornece para eventos corporativos e festas. Por enquanto, atende Rio de Janeiro e Niterói (RJ). As entregas são feitas em até 24 horas por motoboy, e o valor do frete depende da localização.

Os produtos são assados e congelados, feitos na cozinha industrial da empresa, no bairro da Tijuca, zona norte do Rio. A estrutura é bem enxuta: cinco pessoas no total, incluindo os donos.

É possível escolher os produtos individualmente: um pão de queijo com formato de urso, cachorro ou gato custa a partir de R$ 2,50. Um bolinho de fubá, sem glúten e sem lactose, em formato de abelha ou urso, sai por R$ 4.

Além disso, são vendidos kits. Os preços variam de acordo com a quantidade e o tipo de alimento (normal, sem glúten, sem lactose etc.); o básico custa entre R$ 50 (20 itens) e R$ 90 (40 itens).

O kit de lanche básico para uma semana, por exemplo, com 21 produtos e sem suco, custa R$ 77. O pacote inclui três sanduíches naturais, quatro pães, duas tortinhas salgadas, dois pastéis assados, quatro pães de queijo com chia, dois bolinhos (de fubá ou leite de coco), duas tortinhas de maçã, uma barrinha de cereais (com 2 unidades) e um pacote de rosquinha doce (com seis unidades).

No caso dos eventos corporativos, que respondem por 70% do faturamento atual, os produtos são entregues prontos para o consumo. O preço é fornecido sob consulta e varia de acordo com a quantidade.

Mercado de comida saudável é crescente, diz consultor

A comida saudável é uma das opções que mais crescem no segmento de alimentação, diz Wilson Borges, consultor de negócios do Sebrae-SP e especialista em alimentação fora do lar.

Por outro lado, o custo mais alto dos produtos saudáveis pode ser uma barreira para popularizar o consumo e inviabilizar o negócio no longo prazo, diz ele. A saída é escolher bem o nicho de consumidor a ser atingido. "O empresário também precisa ficar atento ao raio de entrega, para que o custo do frete não encareça ainda mais o valor final."

Borges diz que a ideia de usar formato de bichinhos e personagens atrai as crianças, "que se alimentam como se fosse uma brincadeira", mas que o empresário precisa lembrar que a comunicação será feita com os pais, que decidem ou não pela compra. "A argumentação será feita com um consumidor bastante exigente", diz.

O consultor sugere que a empresa faça um bom controle de suas matérias-primas e divulgue vídeos mostrando aos clientes seu processo de produção. "Usar o apelo de que vende saúde, e não apenas alimento, é um bom argumento."

Onde encontrar:

Divertindo e Lanchando - www.divertindoelanchando.com.br

Como ensinar crianças a gostar de alimentos saudáveis?

BBC Brasil

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Empreendedorismo