IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Empreendedorismo


Pensa em virar patrão num negócio só seu? Veja 10 dicas para fazer isso

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/04/2019 04h00

Você sempre sonhou em ser dono de seu próprio negócio, mas não sabe por onde começar? Há escolhas e decisões nesse processo e, para isso, você deve estar preparado. Cautela, foco, pesquisa, capacitação e planejamento são alguns desses passos necessários. Há cuidados também.

"Diferentemente da franquia, cujo modelo, em geral, já foi testado, empreender do zero é uma empreitada individual. Empreender sempre é um risco, e você deve ter consciência desse risco e assumir responsabilidades", declarou Guilherme Campos, diretor do Sebrae-SP.

Para Campos, a primeira pergunta que a pessoa deve fazer é se tem perfil para ser um empreendedor. "Em geral, o empreendedor iniciante é o patrão dele mesmo, mas vai ter de abrir mão de férias, 13° salário, horário fixo. Tudo isso deve ser levado em conta."

Veja 10 dicas antes de empreender:

1) Escolha negócio com o seu perfil

Escolha um tipo de negócio com o qual você mais se identifica e melhor se adapta ao seu estilo de vida e suas habilidades.

"Não se prenda a formalismos das atividades existentes. Com a revolução tecnológica, a relação de trabalho está numa transformação brutal. Portanto, fique atento também a novas oportunidades que estão surgindo", afirmou Campos.

No site, o Sebrae Nacional disponibiliza centenas de ideias de negócios com orientações de como montar, contendo informações como espaço físico adequado, número de funcionários, equipamentos, valor do investimento e legislação pertinente, entre outros. Isso já dá uma base de como o negócio deve funcionar.

2) Saiba de que negócio aquele local precisa

"Aqui o importante é perguntar se o negócio que você pretende abrir é, de fato, relevante para os consumidores daquela região. Não adianta você ter um negócio fantástico, se os clientes não têm qualquer interesse ou a região já está saturada do mesmo tipo de serviço", disse Campos.

Ferramentas de geomarketing (que mapeia a localização ideal do seu ponto comercial, pois analisa o potencial de mercado) podem ser usadas na tomada de decisão.

3) Pesquise o segmento e o mercado

Pesquise tudo sobre sua opção de negócio, desde fornecedores e concorrentes naquela região até o perfil de sua clientela potencial.

Vale aprender a rotina de um negócio com outro empresário do mesmo ramo e até conhecer, como cliente, outros estabelecimentos similares ao que você quer abrir.

4) Calcule quanto vai gastar

Abrir um negócio exige investimentos -e ainda uma reserva de emergência, para eventuais gastos extras. Todo negócio leva um tempo de maturação até dar lucro. Portanto, você precisa estar preparado para se manter nos primeiros meses da empresa.

Por isso, calcule o montante necessário e veja opções de onde conseguir recursos ou financiamentos para seu empreendimento. O Sebrae disponibiliza planilhas, como de fluxo de caixa, estoque e capital de giro, que facilitam a gestão da sua empresa.

"O caixa da sua empresa não é seu bolso. Você tem de ter consciência e responsabilidade para administrá-lo", disse Campos, do Sebrae-SP.

Ênio Pinto, gerente de relacionamento do Sebrae Nacional, disse que, além da necessidade de um capital inicial para abertura do negócio, você deve verificar sua viabilidade financeira. "É preciso que a receita supere as despesas para os custos operacionais", afirmou.

5) Não invista todo o seu capital no negócio

É preciso ter os pés no chão antes de investir o seu dinheiro num negócio próprio.

"Não precisa ter pressa para gastar. O dinheiro é suado, foi construído ao longo da vida. O certo é você ter muita calma na hora de fazer a escolha de onde colocar esse recurso. Não invista todo o seu capital no negócio", afirmou Campos.

6) Teste produto ou serviço antes

De acordo com o Sebrae Nacional, uma ferramenta necessária é a modelagem de negócios.

"Ela permite que o empreendedor veja o negócio como um todo. É o momento de verificar fornecedores, parceiros, perfil de clientes e canais de distribuição. É importante trazer um ineditismo para o cliente. E, por fim, a experimentação é fundamental. O negócio precisa está alinhado ao desejo do cliente, permitindo o crescimento do negócio e sua permanência no mercado", afirmou Ênio Pinto, gerente de relacionamento do Sebrae Nacional.

Ações como demonstração gratuita do produto, degustação ou distribuição de amostras grátis, por exemplo, ajudam a testar seu produto ou serviço de forma rápida e a aprender com os erros, sem gastar muito. O feedback dos clientes é um bom termômetro.

Para Heiko Spitzeck, professor e gerente executivo do núcleo de Sustentabilidade na Fundação Dom Cabral, é essencial testar seu produto ou serviço o quanto antes e verificar se suas hipóteses do modelo de negócio funcionam. "Em quase 100% dos casos, não funciona como você pensou na prática", disse.

7) Faça um plano de negócio

Você precisa colocar no papel o plano de negócio da sua empresa. Isso inclui detalhar todas as fases do processo, com seus gastos e prazos de retorno do investimento, por exemplo.

"Todo negócio exige planejamento, para você ter ciência de todas as etapas do processo. Segui-las à risca ou até corrigir eventuais erros", disse Campos.

8) Capacite-se para o negócio

Capacitação é a palavra do sucesso. Se você estiver preparado para o negócio, as chances de sucesso aumentam. O Sebrae Nacional oferece o curso Iniciando um Pequeno Grande Negócio (IPGN). Gratuito, o curso ensina noções básicas que ajudam você a implementar o negócio a partir de estudos de cases e atividades concretas.

9) Formalize sua empresa e, se tiver sócio, faça contrato

Fuja da ilegalidade. O seu negócio deve ser formalizado. No MEI (microempreendedor individual), por exemplo, você terá alvará de funcionamento e conta bancária de pessoa jurídica (o que facilita o acesso a crédito e financiamentos) e poderá vender para outras empresas com a emissão de nota fiscal, além da segurança jurídica e acesso aos benefícios sociais, como a Previdência Social.

Os escritórios do Sebrae-SP oferecem gratuitamente ao MEI serviços de abertura, alteração cadastral, declaração anual de faturamento e geração de boleto da contribuição mensal.

Se você vai abrir um negócio junto com amigos, a dica de Spitzeck, da Fundação Dom Cabral, é fazer um contrato de sociedade "pensando que a pessoa pode virar seu pior inimigo no futuro". "É preciso ter cuidado com sócios. Até os Beatles não se falavam mais no último concerto", disse.

10) Fique de olho no negócio

Muitos empreendedores investem num novo negócio, sem antes ter saído do seu emprego. Isso pode ser positivo, mas também negativo.

A vantagem de empreender sem sair do seu trabalho é a questão financeira, pois você terá o salário certo no final do mês. No entanto, o emprego pode prejudicar o futuro da pequena empresa.

De acordo com o Sebrae Nacional, existem empreendimentos em que o número de funcionários é enxuto e pode não funcionar como deveria; é preciso que o dono esteja presente. Portanto, dedicar-se ao negócio faz parte do sucesso de seu empreendimento.

Para Spitzeck, você deve ir com calma antes de sair do emprego e pode até cogitar outras opções de empreendedorismo.

"Há uma onda de intraempreendedorismo, na qual funcionários conseguem viver seu potencial empreendedor de dentro da organização onde trabalham. Isso pode ser uma experiência interessante do mesmo jeito, mas com salário garantido no final do mês", afirmou. A sugestão, disse ele, é conhecer a Liga de Intraempreendedores, para se inspirar.

51,5% dos empreendedores brasileiros são mulheres

Band Notí­cias

Mais Empreendedorismo