Bolsas

Câmbio

Tesouro Direto suspende negócios pelo 5º dia; investidor deve se preocupar?

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

O Tesouro Nacional suspendeu na manhã desta sexta-feira (8) as negociações no Tesouro Direto, a plataforma que permite pessoas físicas comprarem e venderem títulos públicos. Foi a quinta vez, apenas nesta semana, que as operações foram interrompidas.

Você sabe por que isso ocorre? O investidor é prejudicado por essas interrupções? Entenda.

Leia também:

Negócios param quando preços dos títulos oscilam muito

A suspensão das negociações no Tesouro Direto normalmente acontece em momentos de nervosismo no mercado financeiro, quando há muita volatilidade, ou seja, os preços dos títulos sobem ou caem muito em um curto período de tempo.

Nos últimos dias, os principais ativos financeiros, como dólar, títulos públicos e ações, registraram grandes oscilações. O dólar, por exemplo, chegou a ser negociado acima de R$ 3,90 na quinta-feira (7) e caiu para perto de R$ 3,70 nesta sexta, após o Banco Central ampliar sua atuação no mercado de câmbio.

Vários fatores têm provocado preocupação nos investidores: o cenário para as eleições presidenciais, o ritmo mais lento de crescimento da economia brasileira e as interferências do governo na política de preços de combustíveis da Petrobras para atender às exigências impostas pelos caminhoneiros na greve realizada há duas semanas.

Suspensão evita que investidor perca dinheiro com oscilações

Segundo o Tesouro Nacional, a suspensão das negociações no Tesouro Direto tem como finalidade dar segurança ao investidor, para "garantir que suas operações sejam realizadas a taxas e preços justos".

Os preços e as taxas de juros dos títulos negociados no Tesouro Direto são baseados nas taxas negociadas no mercado secundário de títulos públicos. Porém, os valores são atualizados apenas três vezes durante o dia.

O Tesouro afirma que essa frequência é suficiente para garantir ao investidor pessoa física condições equivalentes às praticadas nas negociações do mercado secundário, onde apenas grandes investidores podem participar, como bancos e fundos de investimento.

Entretanto, em momentos de maior volatilidade, os preços e taxas do Tesouro Direto podem ficar descolados dos valores praticados no mercado secundário, prejudicando os investidores que queiram negociar títulos naquele período.

"Nesses casos, o Tesouro Nacional suspende as negociações para atualizar posteriormente os preços e taxas dos títulos aos níveis vigentes", diz a instituição.

Interrupção dos negócios normalmente dura algumas horas

O investidor não corre o risco de ter seus investimentos bloqueados no Tesouro Direto. Em geral, as suspensões na plataforma duram apenas algumas horas e coincidem com o período em que o mercado secundário está aberto.

Passado o período de maior nervosismo, o Tesouro Direto é reaberto e o investidor pode comprar ou vender títulos. No caso de venda dos papéis, o valor da operação é creditado na conta do investidor no dia seguinte.

Se não sabe responder a estas 5 questões, será difícil ficar rico

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos