IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Finanças pessoais


Banco da Renault-Nissan lança CDB com liquidez diária e taxa de 102% do CDI

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

2019-03-26T12:30:00

26/03/2019 12h30

O Banco RCI Brasil, braço financeiro do grupo Renault-Nissan, lançou hoje o primeiro CDB (Certificado de Depósito Bancário) do Brasil emitido por um banco ligado a uma montadora. O produto será destinado exclusivamente para investimento de pessoas físicas.

O CDB terá liquidez diária, ou seja, permitirá resgates a qualquer momento, e pagará juros equivalentes a 102% do CDI. Outros CDBs disponíveis no mercado com liquidez diária geralmente pagam entre 95% e 100% do CDI.

O produto terá aplicação mínima de R$ 1.000 e resgate mínimo de R$ 100. Não haverá cobrança de taxas para realizar o investimento no Banco RCI, nem para fazer a transferência dos recursos (TED) de volta para a conta corrente do investidor. Não é preciso ser cliente do banco para investir, basta entrar no aplicativo.

"Com o sucesso dos nossos produtos de investimento em outros países, quisemos também oferecer uma opção ao investidor brasileiro, ofertando taxas competitivas na modalidade liquidez diária, por meio de plataformas online", disse Frédéric Schneider, diretor geral do Banco RCI Brasil.

Com uma carteira de crédito de R$ 10 bilhões no Brasil, o Banco RCI está presente em 36 países e é o principal financiador de veículos das marcas do grupo Renault-Nissan. A instituição foi classificada pela Moody's com grau de risco (rating) "Aaa.br", a melhor nota na escala brasileira da agência de classificação de risco.

O CDB do Banco RCI contará também com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que ressarce o investidor até o limite de R$ 250 mil no caso de inadimplência ou quebra da instituição financeira.

O produto estará disponível exclusivamente por meio do aplicativo CDB Banco RCI, que pode ser baixado nas lojas de APPs do Google (para celulares com sistema Android) e da Apple (sistema IOS). Futuramente, será possível investir por meio do site do banco. Segundo Schneider, não há planos de distribuir o CDB por meio de corretoras ou outras plataformas de investimento.

Ele disse ainda que a instituição avalia lançar outros tipos de CDBs, sem liquidez e com vencimentos de longo prazo, no futuro. "Vamos acompanhar o mercado e ver o como produto vai evoluir", declarou.

Mais Finanças pessoais