IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Finanças pessoais


Arena Corinthians entra no Serasa; saiba como checar se seu nome está limpo

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/09/2019 19h38

Em dívida com a Caixa, a Arena Itaquera, do Corinthians, teve o nome incluído no cadastro do Serasa. Segundo a Caixa, o valor devido gira em torno de R$ 536 milhões, incluindo a multa por atraso. O nome sujo, no caso, tem mais impacto negativo para a imagem do que efeitos práticos. Para muitos brasileiros, porém, ficar com o nome sujo pode ser uma grande dor de cabeça.

A situação vira um problema, por exemplo, na hora de abrir um crediário, fazer um empréstimo, pedir um cartão de crédito ou tentar financiar a casa própria. Se não estiver tudo em ordem, a resposta tende a ser negativa. Você sabe se está negativado, se seu CPF está inscrito em algum órgão de proteção ao crédito? Saiba como conferir sem precisar sair de casa nem pagar nada.

Boa Vista SCPC

O SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), administrado pela Boa Vista, permite consultar a situação do CPF gratuitamente pelo site www.consumidorpositivo.com.br/consulta-cpf-gratis/. É preciso fazer um cadastro no site antes.

ControlCred

Os consumidores podem verificar a situação de seu CPF gratuitamente por meio do serviço de proteção ao crédito controlCred. O site é: consumidor.controlcred.com.br. É preciso preencher um cadastro antes.

Serasa

O Serasa também permite consultar gratuitamente o CPF. O link para consulta pelo site é www.serasaconsumidor.com.br/. Antes, é preciso fazer um cadastro. Dá para fazer a consulta pelo aplicativo, disponível na Play Store (para Android) e na App Store (para iPhone).

SPC Brasil

O consumidor pode consultar seu CPF gratuitamente no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). A consulta pode ser feita pelo site https://www.negociardivida.com.br/negociar/ ou pelo aplicativo, disponíel para iOS e Android. Também é possível ir a um dos postos de atendimentos (veja aqui os endereços).

É importante consultar o CPF em todas as empresas

Sim, é essencial fazer a consulta em várias empresas de crédito, segundo o especialista em direito do consumidor e diretor do Brasilcon (Instituto Brasileiro de Política e Direto do Consumidor), Marco Antônio Araújo Júnior.

"Não há um banco único de negativação. Então, a empresa pode negativar junto ao Serasa ou junto ao SPC", disse. "Por isso, tem que consultar em mais de uma [empresa]."

De acordo o especialista, o ideal é fazer a consulta a cada dois meses para saber se está tudo certo, porque, às vezes, mesmo estando com as contas pagas, um boleto pode ser enviado e não chegar à sua residência. Isso pode gerar uma restrição no nome.

O consumidor deve ser notificado com antecedência sobre a inclusão de seu CPF junto ao órgão de proteção ao crédito.

Após pagamento, empresa deve tirar nome da lista

Após o pagamento da dívida, a empresa responsável pela cobrança tem até cinco dias úteis para retirar o nome do consumidor do órgão de proteção ao crédito. Se não cumprir dentro do prazo, o consumidor pode fazer uma reclamação junto ao Procon ou, até mesmo, entrar com uma ação judicial por danos morais.

Em caso de parcelamento da dívida, após o pagamento da primeira parcela o nome do cliente já deve ser retirado do órgão de proteção ao crédito.

Passaram-se cinco anos e não paguei minha dívida. Não devo mais?

O consumidor poderá ficar com seu nome sujo pelo prazo máximo de cinco anos. Após esse período, a empresa terá que tirar a restrição ao CPF do cliente.

"Isso não quer dizer que, passados esses cinco anos, o consumidor deixa de dever. Ele continua devendo, e a empresa pode se valer de outros meios para cobrar a dívida. Mas não pode ficar registrado no órgão de proteção ao crédito", disse o especialista.

Dicas de como planejar o seu salário - Descomplique #1

UOL Notícias

Finanças pessoais