PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Faça o teste de perfil de investidor e descubra a aplicação indicada a você

Getty Images/iStockphoto/Ratana21
Imagem: Getty Images/iStockphoto/Ratana21

João José Oliveira

do UOL, em São Paulo

24/06/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Teste é útil antes de começar a aplicar seu dinheiro
  • Preferências pessoais e momento da vida influem na escolha de um investimento
  • O teste tem 11 perguntas e é rápido, toma cerca de cinco minutos

A escolha de uma aplicação depende sempre do perfil do investidor. Será que você é mais arrojado ou mais conservador?

O UOL lançou um teste de perfil de investidor, desenvolvido pelo BTG Pactual Digital. O teste tem 11 perguntas e é rápido, toma cerca de cinco minutos. Acesse o teste clicando aqui e descubra qual seu perfil para decidir melhor o tipo de investimento indicado para você. Depois, veja mais abaixo quais as aplicações mais indicadas a cada perfil.

Conhecer o perfil de investimento é o primeiro passo para escolher corretamente onde colocar o dinheiro com algum objetivo futuro.
Jerson Zanlorenzi, responsável pela mesa de renda variável do BTG Pactual digital

Uma aplicação pode ser excelente para uma pessoa de 25 anos, que está começando sua vida profissional, não tem dependentes e, portanto, pode esperar mais para resgatar o dinheiro, suportando eventuais momentos de baixa. Por outro lado, pode ser desastrosa para alguém que está prestes a se aposentar e vai viver apenas das aplicações.

Quais os investimentos indicados a cada perfil?

Conservador: prioriza a preservação dos seus recursos acima de tudo. Não assume riscos que possam comprometer seu patrimônio, ainda que isso implique investir em ativos de baixa rentabilidade. É o que menos tolera perdas e falta de liquidez e pode precisar do dinheiro a qualquer momento.

Esse perfil deve evitar colocar a maior parte de seu patrimônio em ativos que sofrem instabilidade, como Bolsa de Valores. Seu investimento preferido é a renda fixa. O ganho é baixo —e está cada vez menor mas não provoca sustos. E, se precisar sacar, o dinheiro estará acessível de forma rápida.

Moderado: valoriza a segurança, mas está disposto a abrir mão dela às vezes para ter retornos melhores. A maior parte da carteira ainda está em fundos renda fixa ou fundos de investimento que tenha uma parte de suas cotas em renda fixa.

Eventualmente, pode investir em algo mais arriscado do que a renda fixa. Por exemplo, aplicar uma parte do patrimônio em ativos que apresentam instabilidade, como fundos de ações ou fundos imobiliários.

Sofisticado: tem como objetivo a maior rentabilidade possível, estando disposto a assumir maiores riscos para isso. Normalmente já possui um bom conhecimento sobre os produtos de investimento e suporta bem as oscilações de mercado. Por isso, não vai sucumbir ao nervosismo e sacar o dinheiro em momentos de desvalorização.

Pode ter a maior parte de seus recursos em ativos que variam mais, comprando ações diretamente na Bolsa. Também pode investir em fundos multimercados e outras alternativas que apresentam maior potencial de retorno.

O que pesa para definir o perfil de investidor?

São consideradas questões como idade, número de dependentes, fontes de renda, o objetivo de estar investindo e a capacidade de suportar momentos de perdas.

"Além de questões básicas, como idade e fontes de renda, fazemos algumas perguntas para sentir que tolerância ao risco a pessoa tem", afirmou Zanlorenzi.

Duas pessoas com a mesma idade, poder aquisitivo semelhante e objetivo parecido para o investimento —por exemplo, montar a aposentadoria— podem reagir de forma diferente a um momento de fortes perdas na Bolsa.

O investidor mais sangue frio vai conseguir atravessar a turbulência e esperar o momento certo para resgatar, colhendo o lucro. Já o aplicador mais nervoso vai querer sacar tudo no meio da crise e, assim, perder parte de seu patrimônio.

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande um email para uoleconomiafinancas@uol.com.br

Finanças pessoais