PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

3 passos inteligentes para ganhar dinheiro, sem cortar o que você gosta

Conteúdo exclusivo para assinantes
Valter Police

Valter Police

Planejador Financeiro CFP(R), é o Head da Academia Fiduc, além de administrador de carteiras registrado na CVM.

12/07/2021 04h00

Quando pensamos em dinheiro, naturalmente nos vem à cabeça que precisamos ou queremos ganhar mais. Será que esse é o único caminho? Será que é o melhor caminho? No fundo, quando pensamos em ganhar mais dinheiro, o que queremos de verdade é ter mais possibilidades de gastar com nossos objetivos de vida e, nesse sentido, existe um caminho alternativo e mais viável. Afinal, o que importa não é quanto entra, mas quanto sobra.

O jeito mais fácil de ganhar dinheiro não é aumentando a receita, sobre a qual temos pouco controle em geral. No entanto, é possível obter o mesmo efeito de outra forma: reduzindo de forma inteligente e contínua as despesas. Os gastos são decorrentes das escolhas que fazemos e, por esse motivo, podemos controlá-los de forma muito melhor do que poderíamos fazer com as receitas. Se aumentamos as receitas ou reduzimos as despesas chegamos ao mesmo lugar (mais dinheiro), então por que não escolhemos o caminho mais fácil?

Leia abaixo o texto completo.

Antes que você pare de ler o artigo porque achou que agora vou lhe dizer para cortar o cafezinho ou deixar de sair com a família ou os amigos, já adianto que, na maior parte das vezes, você não precisa reduzir seu padrão de vida para gastar menos.

O lendário Henry Ford disse uma vez que "não nos tornamos ricos graças ao que ganhamos, mas com o que não gastamos". É uma grande lição.

O primeiro passo para ganhar mais dinheiro, fazendo sobrar uma fatia maior da receita, é saber quanto e no que se gasta. Sem essas informações, será muito mais difícil ser assertivo no corte de gastos sem afetar o prazer que o seu estilo de vida fornece.

Para obter esses dados, existem muitas formas. A manual, na qual você anota seus gastos em um caderno; a mais comum, por meio da utilização de uma planilha eletrônica; até as mais modernas, que sincronizam suas contas bancárias e cartões de crédito a aplicativos de gestão financeira.

Qual o melhor modelo é uma pergunta que só pode ser respondida por você com base nas suas preferências pessoais. Nenhum é necessariamente melhor do que o outro. O melhor é aquele que faz você usar essas técnicas continuamente, se sentindo seguro e não deixando o processo chato e enfadonho.

No entanto, mesmo que você preencha um caderno ou uma planilha de forma detalhada ou atualize seu app com frequência, não adiantará de nada na prática se você não fizer o segundo passo: analisar as despesas. A técnica é questionar cada despesa, sem preconceitos, e fazer quatro perguntas-chave: 1) Preciso mesmo disso? 2) Preciso agora? 3) Preciso nessa quantidade?

Se a resposta às perguntas 1 ou 2 for "não", você pode eliminar esta despesa. Se a resposta à pergunta 3 for não, você já pode economizar, mas a última pergunta tem um potencial enorme: 4) Tem alguma forma de continuar comprando isso, mas pagando menos? Esta pergunta sempre deve ser explorada caso a despesa não seja eliminada, e ela contém o terceiro passo para se ganhar mais dinheiro: gastar de forma mais inteligente.

Para explorar o potencial máximo do terceiro passo, você vai precisar de um pouco de dedicação, tempo e autocontrole. A internet nos permite comparar os preços de praticamente tudo hoje em dia. Se algo que você quer, seja um produto ou um serviço, pode ser comprado por um preço menor, por que pagar mais? Esta lógica serve às compras de supermercado, farmácia e uma infinidade de outras categorias de despesas.

Em alguns outros casos, basta a paciência para se economizar: produtos recém-lançados tendem a ser mais caros, mas em pouco tempo seu preço costuma cair. Em muitas plataformas de streaming, um filme é lançado por um preço mais alto, mas, em poucas semanas, seu preço cai ou, em alguns casos, passa a ser gratuito. Basta ter paciência e esperar. É dinheiro no bolso sem fazer nada.

Para outras categorias, a pesquisa pode exigir o auxílio de profissionais, como cotações para planos de saúde, que podem ter ficado mais em conta do que o que você possui atualmente. Ou mesmo créditos contratados para os quais a portabilidade oferece oportunidades.

Além disso, entenda como funcionam os benefícios oferecidos por seu banco, pela administradora do cartão de crédito que você utiliza ou por quaisquer outros provedores de serviço que tenham programas de benefícios.

Aproveite também os créditos e promoções fornecidos pelos aplicativos de entregas e conheça aplicativos específicos que fornecem benefícios em categorias que são importantes em seu estilo de vida, como restaurantes, vinhos, livros ou quaisquer outras. O cuidado aqui é para não comprar algo que não precisa apenas porque está mais barato. Se você não precisa de algo, não comprar te dá uma economia de 100%.

Criando uma rotina para usar esses três passos continuamente, você terá mais foco e verá que é possível manter seu padrão de vida e permanecer fazendo o que gosta, mas gastando menos dinheiro. No fim das contas, isto significa ganhar mais.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL