PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Em quanto tempo me aposento se investir 10% da renda em fundo imobiliário?

Exclusivo para assinantes UOL
Sílvio Crespo

Sílvio Crespo é sócio do Grana, aplicativo que automatiza o IR de investimentos na Bolsa. Como jornalista de economia, ganhou diversos prêmios, inclusive o de melhor blog de economia do Brasil, concedido pela Case New Holland, pelo antigo blog Achados Econômicos, no UOL. Paralelamente, hoje cursa psicologia na USP.

16/07/2021 04h00

Imagine que todo mês você invista, a partir de hoje, 10% do seu salário em fundos de investimento imobiliários (FIIs). Você sabe em quanto tempo vai juntar uma quantia suficiente para ter uma renda vitalícia, do tamanho do seu salário atual?

Não sei até que ponto você conhece FIIs, mas esse tipo de ativo paga uma renda mensal para quem investe nele. Na coluna de hoje eu mostro quanto tempo você levaria para conseguir gerar uma renda igual ao seu salário atual, se você investir, mensalmente, 10%, 20% e 40% dos seus ganhos. Veja abaixo.

1. Investindo 10% do seu salário: 20 anos

Se você pegar 10% do seu salário atual e investir todo mês em fundos imobiliários, a tendência é que em 20 anos você tenha acumulado um patrimônio suficientemente grande para gerar uma renda mensal igual à que você tem hoje.

Vamos a um exemplo concreto. Uma pessoa que ganha R$ 5.000 por mês precisaria ter, hoje, R$ 500 mil em fundos como HABT11, KNIP11 e CPTS11 para poder parar de trabalhar e continuar com a mesma renda mensal.

Para juntar R$ 500 mil, são necessários 20 anos de aportes mensais, no valor de R$ 500 cada.

Evidentemente, isso é uma estimativa. Não é possível prever com precisão esses números, pois trata-se de um investimento de renda variável.

Não há nenhuma garantia de que os fundos citados acima continuarão pagando proventos no mesmo ritmo. Por isso, é necessário, em cada aporte, escolher bem os FIIs em que você vai colocar seu dinheiro.

2. Investindo 20% do seu salário: 15 anos

Continuando no exemplo da pessoa que ganha R$ 5.000 por mês, se ela aportar R$ 1.000 mensais, mantendo as taxas atuais, ela consegue parar de trabalhar após 15 anos.

Em todos os cálculos eu estou considerando que a pessoa reinveste todos os dividendos recebidos.

3. Investindo 40% do seu salário: 10 anos

Quem conseguir aplicar 40% dos ganhos em FIIs todo mês, em apenas 10 anos já consegue gerar uma renda dos investimentos igual à do trabalho atual.

Claro que esse esforço só é possível fazer em situações muito especiais e a maioria das pessoas nunca conseguirá. Mas deixei aqui na simulação porque às vezes você pode estar com uma situação melhor em um certo período da sua vida e pode aproveitar para aplicar o valor, com o objetivo de adiantar a sua aposentadoria.

Sem 'noia', por favor

Quando eu apresentava dados como esses para os meus clientes, em geral eu via dois tipos de reações. Uns desanimavam, pois achavam que nas condições atuais eles não tinham onde cortar despesas para conseguir investir pelo menos 10% da sua renda por mês.

Outros ficavam "noia", como se dizia no meu tempo. Ficavam extremamente ansiosos, tentando pensar em uma forma de juntar dinheiro, morrendo de medo de não conseguir.

Se você se encaixa em algum desses dois perfis, em primeiro lugar, fique tranquilo. Ter conhecimento desses dados serviu, no mínimo, para você colocar o pé no chão. Quanto antes uma pessoa toma ciência disso, melhor para o futuro dela.

Em segundo lugar, saiba que ter ansiedade ou mesmo desânimo, neste momento, é normal. Aos poucos, você vai ver que vão surgir ideias quando você menos esperar. Por exemplo, receber hóspedes pelo AirBnb, mudar-se para um imóvel mais barato ou mesmo buscar uma carreira mais bem remunerada.

O caso é que provavelmente você só vai ter força para abrir mão do que já tem no presente se conseguir enxergar com clareza o que tem a ganhar no futuro.

Se esse é o seu objetivo, continue acompanhando minha coluna aqui no UOL.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL