PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Veja 5 ações que aumentaram o retorno em dividendos em 2022

De empresas do setor elétrico a bancos, confira quais tiveram um aumento de retorno em proventos - Shutterstock
De empresas do setor elétrico a bancos, confira quais tiveram um aumento de retorno em proventos Imagem: Shutterstock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Sílvio Crespo

Sílvio Crespo é sócio do Grana, aplicativo que automatiza o IR de investimentos na Bolsa. Como jornalista de economia, ganhou diversos prêmios, inclusive o de melhor blog de economia do Brasil, concedido pela Case New Holland, pelo antigo blog Achados Econômicos, no UOL. Paralelamente, hoje cursa psicologia na USP.

15/04/2022 04h00

Algumas empresas da Bolsa de Valores brasileira estão com um retorno em dividendos maior do que quando o ano começou. Precisamente, isso ocorreu com 35 das 100 ações mais negociadas do país, de acordo com dados da Economatica.

Confira logo abaixo quais são as cinco empresas que tiveram o maior avanço do retorno em proventos ao longo destes primeiros meses de 2022.

O que é o retorno em dividendos?

O indicador usado para medir o retorno de dividendos é chamado de dividend yield (DY).

Se uma ação tem um DY de 10%, significa que, ao investir R$ 100 nela pelo preço atual, você tende a receber R$ 10 na sua conta corrente ao longo de um ano, caso a companhia continue pagando proventos no mesmo ritmo dos últimos 12 meses.

Esse dinheiro que cai na sua conta corresponde aos proventos pagos pela empresa, ou seja, é a parte do lucro que a companhia decide distribuir aos seus acionistas.

Importante notar que esse retorno não é garantido. Como eu disse acima, você só receberá esse valor "caso a companhia continue pagando proventos no mesmo ritmo dos últimos 12 meses".

1. EDP Brasil (ENBR3): +6,5 pontos percentuais

O retorno em dividendos da EDP Brasil, subsidiária da Energias de Portugal, chegou a 11,6% na última quarta-feira (13).

Trata-se de um aumento de 6,5 pontos percentuais em comparação com o final do ano passado, quando o DY estava em 5,1%.

O forte aumento ocorreu porque, em março, a companhia anunciou uma distribuição recorde de dividendos, a R$ 1,40 por ação. A título de comparação, o maior valor até então era de R$ 0,79 por ação, anunciado no final de 2021.

A questão é: será que a EDP Brasil vai seguir remunerando os acionistas nesse ritmo por muito tempo?

Obviamente, ninguém consegue responder a essa pergunta com 100% de certeza. Mas é importante notar que o setor energético é relativamente estável. As empresas tendem a gerar mais caixa conforme concluem seus projetos em geração, distribuição e transmissão de energia.

2. Petrobras (PETR3): +4,2 pontos percentuais

A Petrobras já estava com um DY bastante alto no final do ano passado, de 19,6%. Atualmente, o indicador está em 23,8%, o que representa um aumento de 4,2 pontos percentuais acumulados no ano até aqui.

Esses números se referem às ações ordinárias da companhia (PETR3), que dão direito ao voto nas assembleias. Já os papéis preferenciais (PETR4) subiram 3,7 pontos percentuais, para 23,7%.

A estatal também anunciou recorde de distribuição de dividendos em março, a R$ 2,86 por ação. Para se ter uma ideia, de 2010 a 2020 a companhia pagava menos de R$ 1,00 por ano em dividendos.

O aumento dos dividendos está relacionado ao forte crescimento do lucro líquido da companhia, que foi de R$ 7,1 bilhões em 2020 para R$ 106,7 bilhões no ano passado.

3. Banco do Brasil (BBAS3): +3,4 pontos percentuais

O retorno em dividendos do Banco do Brasil avançou de 5,8%, no final do ano passado, para 9,2% no fechamento do mercado anteontem.

O BB teve um lucro líquido ajustado recorde no ano passado, de R$ 21 bilhões. Para este ano, o banco prevê um resultado ajustado ainda maior, entre R$ 23 bilhões e R$ 25 bilhões.

Vale notar que a receita líquida do BB tem caído desde 2016. Os custos, no entanto, tiveram uma queda mais acentuada, o que possibilitou o lucro recorde no ano passado.

Não se trata, portanto, de uma empresa que está crescendo, e sim que tem enxugado gastos.

4. Energisa (ENGI11): +3,2 pontos percentuais

O Grupo Energisa estava com um retorno em dividendos de apenas 3,3% no final de 2021 e agora atingiu 6,5%, uma alta de 3,2 pontos percentuais acumulada neste ano.

Ainda em dezembro, a companhia anunciou que distribuiria dividendos recordes no início de 2022.

A receita líquida da Energisa têm aumentado consistentemente desde 2014. Nos últimos oito anos, ela passou de R$ 2,8 bilhões para R$ 26,8 bilhões. A empresa praticamente multiplicou seu tamanho por dez no período.

Entre as cinco companhias desta lista, a Energisa e a EDP Brasil são as que apresentam crescimento mais consistente a longo prazo. As demais registraram receitas variadas, com alguns saltos repentinos mais recentes.

5. Santander Brasil (SANB11): +2,8 pontos percentuais

O retorno de dividendos do banco Santander Brasil passou de 6,2% para 9% entre o final do ano passado e a última quarta-feira (13), um aumento de 2,8 pontos percentuais.

Os proventos por ação anunciados pelo banco em 2022 equivalem a 30% do total distribuído no ano passado. Com isso, é bem possível que este ano o Santander repita, ou mesmo supere, o ritmo de pagamento de 2021, que por enquanto é o recorde da instituição.

Riscos

As ações têm riscos, e este texto não é uma recomendação de compra nem de venda de quaisquer dos ativos citados. Nesta coluna eu apenas compartilho insights que tenho quando estou estudando onde investir.

Alguma dúvida?

Ficou com alguma dúvida sobre este texto ou gostaria de saber onde eu invisto meu dinheiro? Entre em contato pelo meu grupo no Telegram. Sua pergunta pode se tornar tema desta coluna no futuro.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.