PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Linx e Grupo Soma: ações para prestar atenção hoje

Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

17/06/2021 08h48

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre a aprovação, pelo Cade, da aquisição da Linx pela Stone. A operação, disputada pela Totvs (TOTS3), foi cercada de polêmicas. Vamos comentar também a oferta de ações subsequentes (follow-on) do Grupo Soma (SOMA3) para pagar parte da fusão com a Hering (HGTX3).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Cade aprova compra da Linx pela Stone

A operação de aquisição da Linx pela Stone, controversa desde o início, terminou com a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Iniciada em agosto de 2020, a transação passou por vários questionamentos. Investidores minoritários enxergaram numa cláusula de não competição, na primeira proposta realizada, um prêmio disfarçado para os fundadores da Linx (LINX3) em troca do controle da empresa. Em seguida, a Totvs (TOTS3) afirmou que negociava com a Linx antes do aceite da proposta da Stone (STNE), mas os acionistas da Linx temiam a concentração de negócios, que travaria a transação no Cade.

A proposta da Stone envolve pagamento e troca de ações. Ou seja, os acionistas receberão uma parte da transação em dinheiro e outra em BDRs da Stone (STNE), que ainda precisam ser aprovados e listados na B3.

Com a aquisição, a Stone entra no negócio de software de gestão para varejo, verticaliza sua operação e agrega valor para os acionistas. Agora, além de prestar um serviço financeiro com suas máquinas, ele tem à sua disposição softwares de gestão para estar presente em toda a cadeia de seus clientes.

Com a finalização da aquisição e com a compra de participação no Banco Inter (BIDI11), vemos a Stone preparada para avançar na digitalização dos negócios e aumentar sua capacidade de oferecer soluções para os clientes.

Grupo Soma: oferta de ações pode captar até R$ 1 bilhão

O Grupo Soma (SOMA3), que recentemente anunciou a combinação de seus negócios com a Hering (HGTX3), pretende realizar uma oferta subsequente de ações (follow-on) para captar os recursos necessários para finalizar a operação.

Além da troca de ações que dá aos atuais acionistas da Hering 34% da nova companhia, a operação envolve pagamento em dinheiro de R$ 1,5 bilhão. Parte desses recursos virá da nova oferta de ações, que visa captar até R$ 1 bilhão.

Esperamos alguma pressão negativa nos preços das ações do Grupo, já que uma oferta desse tamanho pressiona as cotações no curto prazo.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL