PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Hypera Pharma e Helbor: 2 ações com potencial para prestar atenção

Medicamentos: marcas compradas pela Hypera têm foco de vendas no varejo farmacêutico, e incluem nomes como AAS e Cepacol - iStock
Medicamentos: marcas compradas pela Hypera têm foco de vendas no varejo farmacêutico, e incluem nomes como AAS e Cepacol Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

14/07/2021 08h42

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre mais uma aquisição de produtos farmacêuticos pela Hypera (HYPE3), que adicionou 12 marcas da Sanofi ao seu portfólio, e vamos falar sobre mais uma boa prévia operacional de uma incorporadora imobiliária, a Helbor (HBOR3).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Hypera Pharma compra 12 marcas da francesa Sanofi

A Hypera Pharma (HYPE3), uma das líderes no mercado farmacêutico brasileiro, anunciou a compra de 12 marcas de medicamentos, com e sem necessidade de prescrição, do laboratório francês Sanofi. As marcas envolvidas na transação possuem operação no Brasil, México e Colômbia.

Os produtos adquiridos fazem parte do segmento de Consumer Health, com foco de vendas no varejo farmacêutico, e incluem nomes como AAS (analgésico), Cepacol (antisséptico bucal), Buclina (estimulante de apetite) e Hidantal (tratamento de epilepsia). O valor da transação foi fechado em US$ 190,3 milhões, cerca de R$ 1 bilhão considerando o último fechamento de câmbio (real/dólar) de R$ 5,17.

A Hypera realizou aquisições importantes no ano de 2020. Incorporou ao seu portfólio medicamentos de amplo conhecimento do público, como toda a linha Buscopan, e alguns produtos da farmacêutica Takeda, desembolsando mais de R$ 4 bilhões nas duas transações.

Enxergamos impacto positivo no curto prazo nas ações da companhia (HYPE3). Com a aquisição, a Hypera inclui em seu portfólio produtos que podem se beneficiar largamente dentro da estrutura da empresa, gerando sinergias importantes na frente comercial e aumentando o volume de vendas pelo alcance da companhia no país.

Helbor divulga prévia operacional do segundo trimestre

A Helbor Empreendimentos (HBOR3), incorporadora residencial e comercial, divulgou ontem (13), após o fechamento do mercado, seus resultados operacionais preliminares e não auditados do segundo trimestre de 2021.

A incorporadora encerrou o período com R$ 468,2 milhões em Vendas Brutas Totais, representando alta de 113,4% em relação ao mesmo período de 2020. O Valor Geral de Vendas (VGV) referente à participação de Helbor registrou R$ 751 milhões no trimestre, com velocidade de vendas medida pelo VSO total de 15,4%.

Das vendas totais, 82,4% correspondem à comercialização de estoques, dos quais 69,5% são unidades prontas. No total, foram entregues 5 empreendimentos, que totalizaram R$ 627 milhões de VGV total, sendo 55% da parte Helbor.

As Vendas de Lançamentos totalizaram R$ 82,5 milhões, sendo R$ 51,3 milhões da parte Helbor. A maior parte dos lançamentos do trimestre ocorreu no fim de junho, com menor tempo hábil para que o resultado de vendas tivesse impacto no desempenho do período.

O resultado operacional da Helbor apresentou números fortes nas vendas e manteve seu cronograma de obras (10 entregas em um ano). Sendo assim, esperamos uma reação positiva nas ações da companhia (HBOR3). No médio prazo, porém, o aumento da taxa de juros deve impactar o setor de forma negativa, além das incertezas geradas com a reforma tributária, que pode reduzir a lucratividade do setor.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.