PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Desenvolvedora de softwares Sinqia vende e gasta mais; como ficam as ações?

Ações: o lucro líquido ajustado da Sinqia alcançou R$ 3 milhões, um crescimento anual de quase 250% - Jeremy Bezanger/ Unsplash
Ações: o lucro líquido ajustado da Sinqia alcançou R$ 3 milhões, um crescimento anual de quase 250% Imagem: Jeremy Bezanger/ Unsplash
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

17/11/2021 09h32

Hoje comentaremos sobre os resultados trimestrais da Sinqia (SQIA3), desenvolvedora de software, e do Walmart (WALM34), rede de varejo dos EUA.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Desenvolvedora de softwares Sinqia faz mais vendas cruzadas

A desenvolvedora de softwares Sinqia (SQIA3) apresentou bons resultados do terceiro trimestre, com destaque para a receita recorrente de softwares anualizada (ARR) e para o salto da receita líquida. O aumento em algumas linhas de custos e despesas foi um ponto marginalmente negativo, impactando as margens operacionais.

A ARR atingiu R$ 286,9 milhões, um crescimento de 88% na comparação anual. A expansão orgânica foi de 19,8%, impulsionada pelo reajuste de contratos e pelas vendas cruzadas, especialmente no segmento de bancos. Já a receita líquida totalizou R$ 92,1 milhões, uma alta de 74,5% na base anual.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, métrica que serve como aproximação da geração de caixa da companhia, somou R$ 16,6 milhões, um avanço de 88% na base anual. Com isso, a margem chegou a 18%, ganho de 1,3 ponto percentual na comparação anual, mas queda de 4,4 pontos na base trimestral. Por fim, o lucro líquido ajustado alcançou R$ 3 milhões, um crescimento anual de quase 250%.

O resultado da Sinqia veio bom e acima das expectativas em termos de receitas, embora um pouco abaixo nas margens. Além do forte resultado inorgânico, a companhia mostrou que é capaz de realizar muito bem a estratégia de vendas cruzadas.

Contudo, um ponto marginalmente negativo que pode ser mal interpretado pelo mercado é o aumento expressivo dos custos e despesas, o que detratou a margem na comparação trimestral. A margem bruta foi de 38,2%, avanço frente a 2020, quando ficou em 33,1%, mas bem abaixo dos 42,7% do segundo trimestre do ano. A companhia creditou à queda ao ritmo acelerado de contratações.

A Sinqia está com balanço forte para o quarto ciclo de aquisições: captou mais de R$ 400 milhões de capital próprio por meio do seu follow-on (oferta subsequente de ações) realizado em setembro. Além disso, foram captados mais R$ 250 milhões com a emissão de debêntures. Foram recompradas ainda 1 milhão de ações no período como forma de aproveitar a queda das ações e gerar valor aos atuais acionistas. Evidentemente, parte das ações recompradas serão utilizadas em alguns negócios do ciclo de aquisições em vigor.

Nos EUA, Walmart eleva expectativas para receitas, margens e lucro

Nos Estados Unidos, o Walmart (WALM34) apresentou seus resultados do terceiro trimestre do ano fiscal de 2022 (equivalente ao terceiro trimestre de 2021). Os números vieram bons e acima do esperado. Porém, mesmo com a surpresa na linha de receitas, ganhos de margem e lucro melhor do que as expectativas, as ações WMT fecharam em queda de 2,5% nesta terça-feira (16).

Outro ponto animador foi a revisão para cima da sua projeção de resultados (guidance) do próximo trimestre. A empresa elevou suas expectativas para todas as suas linhas: receitas, margens e lucros, em todos seus segmentos.

A receita líquida totalizou US$ 140,5 bilhões, um aumento de 4,3% na comparação anual. Já o resultado operacional somou US$ 5,8 bilhões, um crescimento de 0,2% na base anual. Mas com alguns ajustes considerados pertinentes pela companhia e o câmbio, o resultado acabou sendo negativo: -1,1%.

Além disso, o lucro líquido ajustado por ação chegou a US$ 1,78, acima das expectativas que giravam em torno de US$ 1,58. Ademais, a geração de caixa livre totalizou US$ 7,7 bilhões. A companhia distribuiu US$ 3,7 bilhões em proventos no trimestre, tanto por meio de dividendos quanto por meio de recompra de ações.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL