PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Café com Mercado: petróleo em queda, alimentos em alta e dados de serviços

Conteúdo exclusivo para assinantes

Carol Paiffer

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/09/2020 08h00

Este é o Café com Mercado, do UOL Economia+, em vídeo e texto, com uma análise objetiva das notícias que vão impactar os investimentos. Ontem (10), o Ibovespa fechou com forte baixa de 2,43%, pressionado pelo preço do petróleo e as ações nos EUA. O dólar, por sua vez, teve alta de 0,38% cotado a R$ 5,32 na venda.

Diversas notícias preocupam o mercado internacional. A relação entre EUA/China volta aos holofotes, após o presidente Donald Trump negar o visto de estudantes chineses. Ele alegou que essa atitude visa impedir que os dados militares dos EUA sejam roubados. A China respondeu dizendo que esta foi uma atitude racista e de perseguição política.

Além disso, os democratas (oposição do partido de Donald Trump) frustraram a aprovação de um novo pacote de estímulo à economia. A notícia veio no dia em que os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA permaneceram no mesmo nível da semana anterior, o que indica que a recuperação está um pouco mais lenta do que se esperava.

Como um fator adicional, o preço do petróleo, que continuou caindo após baixa procura mundial, acabou prejudicando o preço das empresas de energia, aumentando as perdas das Bolsas pelo mundo.

Aumento do preço de alimentos

A queda do petróleo e das Bolsas norte-americanas foi fator decisivo de pressão sobre o preço do Ibovespa no dia de ontem (10). A baixa empolgação com o cenário internacional, somada com as incertezas do andamento das reformas prometidas pelo governo Bolsonaro, faz com que os investidores prefiram migrar seu capital para ativos de renda fixa e de proteção.

Além disso, a pressão do Ministério da Justiça sobre supermercados, pedindo explicações sobre o aumento do preço de alguns alimentos da cesta básica, gera o temor de medidas que diminuam a liberdade econômica do setor.

Índice do setor de serviços

Hoje (11), a agenda econômica interna terá como destaque o índice de crescimento do setor de serviços, às 9h. Espera-se crescimento de 4,4% após queda de 0,9% do mês passado. Um resultado abaixo do esperado pode indicar uma recuperação econômica mais frágil do que o previsto.

No mercado internacional, as atenções irão se voltar para o IPC mensal e anual dos EUA. O indicador é utilizado para medir a inflação do país, e qualquer resultado abaixo da projeção de 0,2% pode indicar um desempenho negativo para o dólar.

O programa Café com Mercado é apresentado pela fundadora e presidente da Atom S.A., Carol Paiffer.

Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Entre no grupo UOL Economia+ e receba notícias de investimento no WhatsApp.

Tem alguma dúvida ou sugestão? Fale com a gente: uoleconomiafinancas@uol.com.br

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE