PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Veja 3 ações de energia e bancos que se destacam neste mês

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/11/2020 04h00

As movimentações vistas nos setores de energia e de bancos chamam atenção nas carteiras de ações recomendadas para novembro. Segundo acompanhamento do UOL Economia+, são três ações que se destacam:

- Eletrobras

- Banco do Brasil
- Bradesco

Atuação em várias áreas do setor elétrico

No ramo de energia, duas empresas ingressaram nos portfólios preparados para este mês e outras quatro foram substituídas. O destaque fica por conta de Eletrobras, cujo papel preferencial classe B (PNB) foi mantido pela Ágora Investimentos, e o ordinário (ON) passou a fazer parte da seleção feita pela MyCap.

"A companhia atua em diferentes frentes dentro do setor elétrico, como geração e transmissão de energia no país, se mostrando resiliente em momentos de elevada volatilidade na Bolsa", diz o relatório da MyCap, sobre a escolha de Eletrobras. A instituição destaca ainda a elevada liquidez e previsibilidade na receita da empresa, além da expectativa de distribuição de proventos.

Outros ativos do segmento incluídos em novembro são as units (cestas de ações) da Alupar e da Energisa, que figuram entre as novidades escolhidas pela BB Investimentos e pelo BTG Pactual, respectivamente. Ainda no setor, as ações PNB da Cesp permanecem no portfólio da Ágora.

No sentido oposto, as units da Taesa, as ações preferenciais da Cemig e as ordinárias da Equatorial Energia e da Engie Brasil saíram da lista geral de recomendações.

Banco do Brasil

As ações do BB passaram a integrar a carteira da Mirae Asset Corretora e foram mantidas pela Necton Investimentos, acumulando duas recomendações --mesma quantidade vista para os papéis preferenciais do Bradesco, que permanecem nas seleções feitas pela corretora do Banco do Brasil (BB Investimentos) e pela Necton.

No relatório deste mês, a Necton destaca que o BB tem mostrado ganho de rentabilidade gradual nos últimos anos, com incremento de 12,3% na margem financeira líquida em 2019, frente ao ano anterior.

A instituição comenta ainda que a rentabilidade sobre o patrimônio vem convergindo gradativamente para o patamar dos bancos privados. No início de novembro, o BB divulgou um lucro líquido de R$ 3 bilhões no terceiro trimestre, com queda de 27,5% no comparativo anual.

Bradesco

Sobre o Bradesco, a Necton acredita que os maiores fatores de risco já estão incorporados nos preços das ações e destaca a "resiliência do banco para enfrentamento da crise, em meio ao seu bom histórico de governança e gestão de risco". A instituição financeira apresentou lucro líquido de R$ 5 bilhões no terceiro trimestre —um recuo de 23% frente ao mesmo intervalo de 2019.

No caso do Itaú, as ações preferenciais seguem na lista da Ágora para este mês, mas deixaram a carteira da Planner.

As units do BTG Pactual e do Santander também aparecem na relação geral, com uma indicação cada.

Confira aqui outros destaques e as carteiras completas recomendadas para novembro. Os códigos e preços das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.