PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

4 fundos imobiliários mais indicados por analistas para investir em junho

Exclusivo para assinantes UOL

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/06/2021 08h09

Levantamento feito pelo UOL Economia+, a partir de carteiras recomendadas por dez instituições, entre bancos e corretoras, mostra que existem quatro fundos imobiliários que foram os mais indicados para junho.

Dois fundos têm foco em logística e receberam cinco recomendações. Os outros dois investem em diferentes segmentos imobiliários (híbridos) e receberam quatro recomendações. Confira a seguir os fundos imobiliários mais indicados* para junho.

  • Conheça o UOL Economia+, serviço completo de orientação financeira do UOL para assinantes.

  • Bresco Logística (BRCO11): 5 recomendações
  • TRX Real Estate (TRXF11): 5 recomendações
  • CSHG Renda Urbana (HGRU11): 4 recomendações
  • Vinci Logística (VILG11): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ativa Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Genial Investimentos, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, Necton Investimentos, Santander Corretora, Terra Investimentos e XP Investimentos.

Inflação alta, juros e covid pressionam fundos

O Índice de Fundos Imobiliários (Ifix) da B3, que havia apresentado leve alta em abril (0,5%), voltou a recuar em maio e encerrou o período com desvalorização de 1,6%. No mesmo intervalo, o principal índice de ações da Bolsa (Ibovespa) registrou ganho de 6,16%.

Na opinião da BB Investimentos, o cenário de inflação elevada e de fragilidade nas contas públicas vem renovando as perspectivas de novas altas na taxa de juros, o que acaba influenciando negativamente os fundos imobiliários.

Além disso, diz a instituição, as incertezas quanto à evolução da pandemia no país, com o atraso no cronograma de vacinação e a perspectiva de uma possível terceira onda de covid-19, seguem pressionando os fundos de tijolos —sobretudo dos segmentos de lajes corporativas, logística e shoppings.

"Os fundos de recebíveis, que vinham apresentando um nível de resiliência relativamente maior, também acabaram cedendo no mês [maio] em meio ao clima de maior apreensão dos investidores", lembra a BB.

Sobre o crescimento econômico, o BTG Pactual afirma que o mercado tem se surpreendido positivamente com os dados, o que fez a instituição elevar de 3,5% para 4,3% sua previsão de alta do PIB (Produto Interno Bruto) em 2021.

Apesar da melhora, o banco destaca que um cenário de normalização quanto à covid-19 ainda permanece incerto. "Para os fundos imobiliários, isso significa um ambiente de volatilidade para os fundos de tijolo, que são mais impactados operacionalmente por fechamentos e restrições dos imóveis em relação à pandemia."

Bresco Logística estreia em 4 carteiras

Com quatro estreias e uma manutenção nas carteiras recomendadas de fundos imobiliários, o Bresco Logística (BRCO11) lidera as indicações para junho, ao lado do TRX Real Estate.

O Bresco figura como novidade nos portfólios elaborados pela Ativa, BB Investimentos, Guide e XP. A Genial Investimentos, que havia incluído o fundo em sua carteira de maio, manteve a aposta para este mês.

Em seu relatório, a BB Investimentos explica que o foco do Bresco é na obtenção de renda, mediante locação ou arrendamento de empreendimentos logísticos ou industriais.

Segundo a corretora, o produto possui atualmente 11 propriedades, reunindo 446 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) e com potencial para expansão dessa marca em 6%. "O portfólio do fundo encontra-se com uma receita anual estabilizada de mais de R$ 125 milhões, sendo 35% provenientes de propriedades localizadas na cidade de São Paulo."

A XP Investimentos foi outra corretora que incluiu o Bresco em sua carteira recomendada deste mês. Para a instituição, o fundo reúne ativos de alta qualidade, bem localizados e com inquilinos cujo risco de inadimplência é baixo. A lista, diz a corretora, engloba empresas com alta exposição ao comércio eletrônico, entre elas o Mercado Livre e o Magazine Luiza.

Outro diferencial é o horizonte dos contratos, a maior parte (55,7%) com vencimentos a partir de 2025, afirma a XP.

TRX Real Estate reúne grandes varejistas

O fundo TRX Real Estate (TRXF11), que também recebeu cinco recomendações para junho, explora ativos imobiliários urbanos de uso comercial, vinculados aos setores de varejo e logística.

De acordo com análise da BB Investimentos, o produto é focado na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas, com uma gestão que busca retorno por meio da aquisição, desenvolvimento e venda de imóveis.

A instituição ressalta que o portfólio de imóveis do TRX Real Estate concentra-se em operações de grandes redes varejistas, como Pão de Açúcar, Big Bompreço e Assaí, em lojas espalhadas em oito estados das regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

"Quase todos os contratos vigentes são na modalidade atípico [acordados entre as partes com termos e cláusulas diferenciadas dos instrumentos de locação comuns] e quase 80% destes têm vigência até 2035", afirma a BB.

Ao todo, o fundo possui 44 imóveis, com uma área bruta locável superior a 380 mil metros quadrados.

CSHG Renda Urbana e Vinci Logística têm 4 indicações

O segundo bloco de destaques do mês traz os fundos CSHG Renda Urbana (HGRU11) e Vinci Logística (VILG11), ambos com quatro recomendações. O primeiro é um produto híbrido e está entre as novidades indicadas pela Santander Corretora para o período.

A instituição destaca que, há cerca de um mês, o CSHG Renda Urbana divulgou um acordo para adquirir dez ativos imobiliários destinados à atividade de varejo, integralmente locados ao Makro Atacadista, localizados nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Norte e Paraíba. O valor da transação alcança R$ 203,7 milhões.

"O fundo apresenta no curto e médio prazo um portfólio mais defensivo, em especial por ter 45,4% da receita concentrada no segmento supermercadista que, por oferecer serviço essencial, pode continuar com suas operações em funcionamento", diz o Santander.

No caso do Vinci Logística, o fundo manteve quatro das seis recomendações recebidas no mês passado --tendo deixado, portanto, duas carteiras recomendadas para junho, da BB Investimentos e da Guide.

Em relatório, a corretora do BB afirma que optou por substituir o produto justamente pelo Bresco Logística, por acreditar que este último apresenta um potencial de retorno maior nos próximos meses, tanto por renovações de contrato em andamento como por novos compromissos firmados.

Alterações e portfólios completos indicados

Ativa Investimentos

  • Incluiu: Bresco Logística (BRCO11) e Versalhes Recebíveis Imobiliários (VSLH11).
  • Retirou: RBR Properties (RBRP11) e Tordesilhas EI (TORD11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11), Guardian Logística (GALG11), JS Real Estate Multigestão (JSRE11), REAG Multi Ativos Imobiliários (RMAI11), Rio Bravo Renda Educacional (RBED11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11) e Versalhes Recebíveis Imobiliários (VSLH11).

BB Investimentos

  • Incluiu: Bresco Logística (BRCO11) e TRX Real Estate (TRXF11).
  • Retirou: CSHG Renda Urbana (HGRU11) e Vinci Logística (VILG11).
  • Carteira recomendada: Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11), Bresco Logística (BRCO11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mérito Desenvolvimento Imobiliário I (MFII11), REC Recebíveis Imobiliários (RECR11), TRX Real Estate (TRXF11), XP Log (XPLG11) e XP Selection (XPSF11).

BTG Pactual

  • Carteira recomendada: BTG Pactual Corporate Office (BRCR11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Real Estate (HGRE11), HSI Logística (HSLG11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), RBR Properties (RBRP11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), Santander Renda de Alugueis (SARE11), Vinci Logística (VILG11) e XP Log (XPLG11).

Obs: não houve alterações em relação ao mês passado, apenas rebalanceamento de peso dos fundos no portfólio.

Genial Investimentos

  • Incluiu: Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11) e RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11).
  • Retirou: REC Recebíveis Imobiliários (RECR11) e Rio Bravo Fundo de Fundos (RBFF11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), HSI Malls (HSML11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mogno Fundo de Fundos (MGFF11), Pátria Logística (PATL11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), VBI Prime Properties (PVBI11) e Vinci Offices (VINO11).

Guide Investimentos

  • Incluiu: Bresco Logística (BRCO11) e RBR Crédito Estruturado (RBRY11).
  • Retirou: CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11) e Vinci Logística (VILG11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Ourinvest Fundo de Fundos (OUFF11), RBR Crédito Estruturado (RBRY11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11), Vinci Shopping Centers (VISC11) e XP Malls (XPML11).

Mirae Asset Corretora

  • Incluiu: BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11) e CHSG Logística (HGLG11).
  • Retirou: BTG Pactual Logística (BTLG11) e CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11), CHSG Logística (HGLG11), TRX Real Estate (TRXF11) e XP Malls (XPML11).

Necton Investimentos

  • Incluiu: CSHG Prime Offices (HGPO11).
  • Retirou: Tellus Properties (TEPP11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Corporate Office (BRCR11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Prime Offices (HGPO11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), Valora CRI Índice de Preço (VGIP11), VBI Prime Properties (PVBI11) e Vinci Logística (VILG11).

Santander Corretora

  • Incluiu: CSHG Renda Urbana (HGRU11) e Maxi Renda (MXRF11).
  • Carteira recomendada: Brasil Plural Absoluto (BPFF11), CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Maxi Renda (MXRF11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), Santander Renda de Alugueis (SARE11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11), Vinci Logística (VILG11) e Vinci Offices (VINO11).

Obs: incluiu dois fundos e não excluiu nenhum neste mês.

Terra Investimentos

  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), CHSG Logística (HGLG11), CSHG Real Estate (HGRE11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11) e TG Ativo Real (TGAR11).

Obs: não houve alterações em relação ao mês passado.

XP Investimentos

  • Incluiu: Bresco Logística (BRCO11).
  • Retirou: Pátria Logística (PATL11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), VBI Prime Properties (PVBI11), Vinci Logística (VILG11) e XP Crédito Imobiliário (XPCI11).

O preço e o desempenho dos fundos imobiliários podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia, na seção Bolsa de Valores.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.