PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Com fala sobre privatização, Sabesp dispara 11% na Bolsa; veja por quê

Conteúdo exclusivo para assinantes

Camila Mendonça

Do UOL, em São Paulo

20/08/2021 16h42

As ações da Sabesp (SBSP3) fecharam a sessão desta sexta-feira (20) da Bolsa de Valores com alta de 10,86%. O aumento chegou a ser de mais de 15% pela manhã. A euforia veio após fala do deputado federal Rodrigo Maia (sem partido-RJ) sobre a privatização da empresa de saneamento básico paulista.

Maia foi recém-nomeado secretário de Projetos e Ações Estratégicas do estado de São Paulo e disse que "organizar a privatização" até o final de sua gestão é uma das prioridades dele. Segundo analistas ouvidos pelo UOL, privatizar a empresa a deixa, sim, mais atrativa para os investidores. Entenda por que e veja se vale investir na Sabesp agora.

Por que Sabesp fica mais atrativa com privatização?

Para os especialistas, em geral, empresas estatais —cujo dono é o estado, no caso da Sabesp, ou a União — não tem desempenho consistente. Além disso, elas podem servir como contrapartida política e sofrer interferência, como aconteceu com a Petrobras no início do ano.

"É mais do que sabido que uma empresa privada tende a desempenhar melhor, apresentar resultados mais consistentes. Com a privatização, ela ainda se blinda de interferências políticas", afirma Rodrigo Moliterno, chefe de renda variável da Veedha Investimentos.

Segundo Nelly Pires Colnaghi, analista de ações da Levante Ideias de Investimentos, a privatização melhoraria a eficiência das operações da empresa e estimularia a otimização de custos. "Além disso, é esperada uma melhor governança da empresa, com sua gestão não partindo de indicações governamentais", diz.

Privatização já é esperada

A privatização da empresa não é uma novidade para o investidor, mas a forma como isso deve acontecer interfere na expectativa dos investidores e, por consequência, nas oscilações das ações da companhia.

"Há cerca de um ano essa questão da privatização da Sabesp já entrava no radar do investidor após o [João] Dória, governador de São Paulo, afirmar que a companhia voltaria ao modelo de capitalização, considerado menos positivo do que o de privatização", afirma Régis Chinchila, analista da Terra Investimentos.

O aumento expressivo no preço das ações da empresa nesta sexta (20) deve-se ao termo "privatização". Para os analistas, é possível que o modelo de capitalização seja abandonado e que o de privatização —considerado mais positivo pelo mercado —seja seguido.

"Este cenário de privatização pode ser interessante para a empresa, uma vez que trará mais possibilidades de investimentos e novos projetos. Por outro lado, o cenário de crise hídrica e escassez, inclusive para 2022, conforme afirmou técnico da Sabesp, acaba pesando sobre a empresa", afirma Chinchila.

Vale investir na empresa agora?

Mesmo com a alta de hoje, e com o projeto de privatização ainda longe para acontecer, vale a pena investir nas ações da empresa? Vale, segundo os analistas.

"A Sabesp é uma empresa extremamente sustentável, que gera caixa positivo. Dá para segurar na carteira a longo prazo, ainda mais se privatizar. Isso porque o setor de saneamento básico é bem demandado no Brasil e existem poucas empresas da área", afirma Vírgilio Lage, especialista da Valor Investimentos.

Para Moliterno, da Veedha, a empresa destoa das estatais de forma geral, por ser eficiente, e o setor de saneamento básico é atrativo.

"Ano passado teve a aprovação do marco do saneamento, algo de extremamente importante para o Brasil. Além disso, a empresa uma boa pagadora de dividendos. No último ano, por conta da pandemia, ela foi ruim, mas é uma empresa que paga um DY (retorno sobre dividendos) em torno de 10%", afirma o especialista.

"Mesmo com a alta de hoje, o preço da Sabesp ainda é atrativo para os investidores. Projetamos um preço-alvo de 12 meses de R$ 54,00 para a empresa, com recomendação de compra", afirma Chinchila, da Terra Investimentos.

Nelly Colnaghi, da Levante, pensa um pouco diferente. Ela acredita no potencial do setor de saneamento, mas a exposição da empresa a interferências políticas, e a crise hídrica prejudicam a companhia.

"No caso particular de Sabesp, ressaltamos os resultados abaixo do esperado do seu segundo trimestre, que frustraram investidores. Nesse contexto, mantemos uma perspectiva neutra para as ações da companhia, na qual vemos poucos gatilhos para seu destravamento de valor", afirma.

Ela ressalta, porém, que a proposta de privatização da companhia poderia, de fato, impulsionar o preço de suas ações. Para ela, somente em um cenário de "privatização iminente", a empresa ficaria mais atrativa para o investidor.

"O mercado precificaria o aumento de eficiência de suas operações futuras, além de uma melhor gestão da companhia como um todo, o que acarretaria na valorização da ação", diz.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE