IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Cachorro caramelo vira investimento criado por brasileiros

A coleção Cachorro Caramelo NFT possui 10 mil itens exclusivos - Reprodução
A coleção Cachorro Caramelo NFT possui 10 mil itens exclusivos Imagem: Reprodução

Fernando Barbosa

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/03/2022 04h00

Depois de viralizar como um símbolo típico do Brasil e até estrelar campanhas do Banco Central sobre a nota de R$ 200, o cachorro caramelo agora é também um investimento. Dois brasileiros criaram o Cachorro Caramelo NFT: ou seja, artes digitais do típico vira-lata que podem ser negociadas e gerar lucros conforme seus preços se valorizam —assim como os desenhos colecionáveis adquiridos por milhões de dólares e que ganharam a atenção de celebridades como Neymar, Mick Jagger, Serena Williams e Justin Bieber.

Mas como funciona a dinâmica desse mercado de artes digitais? Qualquer um pode comprar NFTs? Especialistas consultados pelo UOL respondem a essas dúvidas abaixo e revelam se vale a pena investir nos desenhos do cão caramelo.

O mercado de investimentos digitais

Em 2021, a negociação de ativos digitais descentralizados, como as criptomoedas bitcoin (BTC) e ethereum (ETH), ganharam força na carteira de investidores. Mas há outras opções que também vêm se destacando, a exemplo dos NFTs (tokens não-fungíveis).

Esses tokens ganharam maior notoriedade quando, no início deste ano, famosos pagaram milhões de dólares para ter o direito sobre artes digitais colecionáveis. Sobretudo pelos macacos da coleção Bored Ape Yacht Club (BAYC) —adquiridos pelo jogador Neymar e o cantor Justin Bieber.

De acordo com números da plataforma DappRadar, a comercialização de NFTs movimentou US$ 94,5 milhões em 2020 e encerrou o último ano com US$ 24,9 bilhões —ou seja, um aumento de 163,5%.

O que são NFTs?

Do inglês non-fungible token, os NFTs ou tokens não-fungíveis são únicos, como obras de artes reais. Diferente do dinheiro fiduciário (euro, dólar e real), que é um bem fungível, uma obra de arte rara é um bem não-fungível —ou seja, não existem outros itens iguais e, portanto, não podem ser substituídos por outros da mesma espécie. Justamente por serem únicos são tão valiosos e desejados.

NFTs representam títulos de propriedade de ativos digitais, como uma foto, um tweet, uma música, um tênis digital, um autógrafo, um terreno virtual ou qualquer outro bem único no mundo virtual.
Cauê Mançanares, CEO da plataforma Investo

No caso de NFTs, é a tecnologia blockchain (a mesma utilizada com criptomoedas) que garante a originalidade desses investimentos.

"A blockchain torna possível garantir a escassez de um bem, porque a propriedade original é atribuída a um token, diferente de um arquivo JPG [tipo de arquivo de imagem], que é possível copiar e mandar para qualquer um", diz Paulo Boghosian, head da divisão de cripto da plataforma Traders Club.

Apesar do seu destaque nas artes digitais, os tokens também são negociados para oferecer equipamentos mais poderosos aos personagens de jogos, como armaduras, espadas e escudos, entre outros itens.

Cachorro caramelo como investimento

Baseado no meme da vira-lata caramelo, os amigos Walysson Silva e Rodrigo Miros, de Londrina (PR), resolveram desenvolver o Cachorro Caramelo NFT. Da concepção ao lançamento, foram seis meses para a dupla entender o mercado, criar a coleção e ofertá-la ao público em geral.

"Queríamos uma coleção que ajudasse os animais. E tinha que ser um viral, meio que meme, e também atrativo", declara Walysson, um dos criadores.

Coleção Cachorro Caramelo - Reprodução - Reprodução
Cachorro Caramelo NFT é uma coleção criada pelos brasileiros Walysson Silva e Rodrigo Miros
Imagem: Reprodução

A "mintagem" —inserção do cadastro das peças em blockchain— é feita na blockchain Polygon, uma subcamada da blockchain ethereum. Apesar de ser um pouco mais instável que a rede mãe, a Polygon não cobra taxas para a inclusão de NFTs na plataforma.

Para seguir a lógica de demanda e oferta que rege a regra do mercado no exterior, são oferecidos 10 mil itens únicos do cachorro.

A partir da venda de todas as peças, o preço começa a subir, porque mais gente quer entrar e só consegue com a aquisição daqueles existentes. Não vimos NFTs focados no Brasil e buscamos desenvolver algo brasileiro.
Rodrigo Miros, um dos criadores do Cachorro Caramelo NFT

Com lançamento em janeiro, em menos de três meses os dois já venderam 1.514 NFTs, movimentando R$ 470 mil. Desse total, o lucro para o negócio foi de R$ 307 mil —uma vez que no montante houve a revenda de itens entre usuários. A negociação em segunda mão tem 10% de taxa de patente das artes.

A pegada social veio no DNA da proposta. Atualmente, de tudo o que é arrecadado, 50% do lucro é destinado à Associação Defensora de Animais (ADA) na cidade paranaense.

"Somos apaixonados por animais e conseguimos juntar coisas que amamos: tecnologia, o aspecto social e os animais", declara Miros.

No começo do ano os NFTs da coleção Cachorro Caramelo começaram a ser negociados por cerca de R$ 60. Hoje, o preço gira em torno de R$ 234, quase quatro vezes mais.

Novos nichos podem ganhar destaque

De acordo com os especialistas, os NFTs para o uso social têm muito potencial e devem crescer ainda mais nos próximos anos. Um exemplo foi o anúncio, em dezembro, das coleções de mil tokens do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para ajudar escolas a ter acesso à internet.

"Acredito que este é apenas o início de uma tendência que irá se consolidar nos próximos anos e poderá ser explorada por ONGs e negócios de impacto por meio de parcerias com artistas e plataformas de NFTs", afirma o CEO da plataforma Token.com, William Ou.

Um dos pontos que favorecem o crescimento dos NFTs é que os jovens já consomem os produtos em artigos virtuais, como em skins do game Fortnite, segundo Ou.

Para Boghosian, da plataforma Traders Club, as oportunidades mais interessantes estão na infraestrutura de NFTs do que na compra de novas coleções.

"As coleções têm uma oferta ilimitada. A cada dia tem uma coleção nova, e elas possuem preços difíceis de explicar. Não está claro o quanto elas vão conseguir preservar valor ao longo do tempo", diz ele.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.