PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Eletrobras: investidor que usou FGTS vai receber 66,79% da reserva feita

Veja exemplo de um rateio e os próximos passos para quem fez a reserva para comprar ações da Eletrobras com recursos do FGTS - Reuters
Veja exemplo de um rateio e os próximos passos para quem fez a reserva para comprar ações da Eletrobras com recursos do FGTS Imagem: Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes

João José Oliveira

Do UOL, em São Paulo

10/06/2022 14h25Atualizada em 10/06/2022 15h41

O investidor que está usando recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para comprar ações da Eletrobras vai receber 66,79% do que havia reservado, informou a empresa elétrica em comunicado divulgado nesta sexta-feira (10).

A porcentagem foi estipulada para que ninguém ficasse sem ações, já que a busca foi maior do que a fatia reservada a este público. Assim, será preciso fazer um rateio proporcional entre os interessados.

Veja abaixo como isso será feito e os próximos passos da operação.

Exemplo do rateio

Cerca de 370 mil pessoas fizeram reserva para compra de ações da Eletrobras por meio dos Fundos Mútuos de Privatização Eletrobras (FMP Eletrobras), autorizando a transferência de recursos da conta do FGTS. Cada trabalhador podia usar até 50% do saldo das contas que possui no FGTS para participar dessa rodada de investimentos.

Mas, com o rateio, cada aplicador que está usando o FGTS para comprar ações da Eletrobras vai receber 66,79% do valor que havia reservado.

Como exemplo, uma pessoa que fez uma reserva para aplicar o valor mínimo usando recursos do FGTS, de R$ 200, vai conseguir investir R$ 133,58. O valor restante, de R$ 66,42, vai voltar para a conta desse titular no FGTS.

O aplicador desse grupo só poderá vender o papel após 12 meses, quando acaba o período de lock-up. Depois disso, ele pode pedir ao gestor do fundo o resgate do investimento, e o dinheiro volta para a conta do FGTS.

Durante esse período de carência, os valores poderão ser resgatados nas hipóteses de demissão, aposentadoria, falecimento, uso para moradia, três anos sem registro em carteira, doenças graves, quando o trabalhador completa 70 anos, ou em caso de calamidade pública.

Cada ação saiu a R$ 42

O preço das ações na capitalização que levará à privatização da Eletrobras ficou em R$ 42, após processo de bookbuilding. A operação atingiu R$ 29,3 bilhões, sem incluir os lotes extras de ações, que vão levar o negócio a R$ 33,7 bilhões, contando o lote suplementar e a venda da BNDESPar, braço de participações do BNDES.

Próximas etapas: estreia da ação e pagamento

Na segunda-feira que vem, dia 13, as ações da Eletrobras vendidas na capitalização começam a ser negociadas na Bolsa brasileira.

No dia seguinte, dia 14, será a data da liquidação do negócio, ou seja, prazo para que as transações de pagamento sejam concluídas.

Veja como será o processamento na Caixa

A Caixa informou que iniciou desde ontem (09) o processamento dos débitos nas contas do FGTS dos trabalhadores que reservaram recursos para aplicação na Oferta Pública da Eletrobras.

O banco diz que os valores das contas de FGTS a serem efetivamente aplicados em FMP-Eletrobras foram calculados observando o índice de rateio.

Segundo a Caixa, o trabalhador pode verificar o débito realizado em sua conta de FGTS consultando o extrato por meio do App FGTS (android ou iOS), na opção Meu FGTS.

Na data da liquidação da oferta, em 14 de junho, os valores não utilizados na aplicação serão desbloqueados, voltando às contas FGTS, disse a Caixa.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.