PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Lojas Renner é indicada por quatro empresas de investimentos; vale apostar?

só para assinantes

Lílian Cunha

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/07/2022 16h53

Neste mês de julho, quatro empresas de investimentos estão indicando a mesma ação: Lojas Renner (LREN3). A rede gaúcha de lojas está nas carteiras mensais da Ativa Investimentos, do banco BTG, da Terra Investimentos e da Mycap.

Hoje, o ativo está sendo negociado em alta de 1,39%, a R$ 23,45, por volta das 14h30. A empresa é uma das poucas do setor de varejo que, no acumulado do ano, está no positivo, com alta de 1,52%.

"A Renner está bem posicionada para ganhar participação de mercado no fragmentado varejo de vestuário do Brasil graças à cadeia de suprimentos de última geração", publicou o BTG, em texto para acionistas. As iniciativas de vendas por vários canais, além das lojas físicas, também é um fator atraente para a ação, segundo o banco, que calculou um preço alvo para a ação de R$ 37.

A Terra ressaltou que a maior varejista de moda do país também é dona da Camicado, que atua no segmento de casa e decoração, e da Youcom, de moda jovem. O preço da ação, que já foi de mais de R$ 50, está bem atrativo, segundo a empresa.

"Acreditamos que a empresa deve se beneficiar de um cenário de recuperação da economia com uma demanda reprimida no setor de vestuário", publicou a Terra, em documento para investidores. O preço alvo é de R$ 44 para os próximos 12 meses.

Além do preço baixo, a Mycap ressalta que a varejista "poderá se associar a outra varejista com 'expertise' em vendas virtuais,
ampliando sua capacidade de crescimento de receita futura", conforme publicaram os analistas da empresa de investimentos. O preço alvo da Mycap fica ente R$ 26 e R$ 29,80.

A Ativa, que calculou preço alvo de R$ 37,40, publicou que a Lojas Renner tem demonstrado estar "bem posicionada para capturar a retomada do varejo de moda, tanto em suas lojas físicas quanto nas plataformas digitais".

No primeiro trimestre, a rede reverteu o prejuízo de R$ 147,7 milhões de um ano antes e teve lucro de R$ R$ 191,6 milhões.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.