IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Nathalia Arcuri, do Me Poupe!: Como sair das dívidas e começar a investir

Quer sair das dívidas? Confira 8 atitudes que vão mudar a sua vida financeira - Getty Images
Quer sair das dívidas? Confira 8 atitudes que vão mudar a sua vida financeira Imagem: Getty Images

Gabriela Bulhões

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/12/2022 04h00

O método promete organizar vida financeira em 33 dias, segundo a autora Nathalia Arcuri, criadora e CEO da plataforma de educação financeira Me Poupe! Veja oito passos para se livrar de dívidas e ter dinheiro para investir.

1) Organize seus gastos

  • Imprima o extrato dos últimos três meses de todas as suas contas bancárias para ver tudo que precisará pagar nas próximas semanas.
  • Saiba exatamente quais são seus gastos fixos mensais (como aluguel, mensalidade do filho e plano de internet), gastos variáveis (como água, luz e mercado) e os eventuais (como seguro do carro, IPTU e IPVA).
  • Anote todos os seus gastos, para saber o dinheiro que entra e o que sai.
  • No final do dia, também faça um balanço do que gastou e do que ganhou. Assim terá controle do que sobra.

2) Reduza despesas

  • Pense no que é essencial para você, como produtos, serviços e experiências que ainda quer viver.
  • Separe as despesas essenciais, as despesas importantes que podem ser reduzidas e as despesas que podem ser eliminadas.
  • Uma dica é pegar os extratos bancários e grifar cada tipo de despesa com canetinhas coloridas.
  • Uma coisa é comer, e outra é pedir comida pelo aplicativo todo dia.

3) Examine suas dívidas

  • Conheça bem todas as dívidas (parcelas do cartão de crédito a vencer, consignado ou financiamento).
  • Separe em uma planilha qual é o valor inicial da dívida, quanto já pagou, qual o valor da parcela, o valor atual com juros e sem juros, a taxa de juros e o CET (custo efetivo total).
  • Você também pode conferir as suas dívidas por meio da ferramenta "Limpa Nome" no Serasa.

4) Comece a investir

  • Hoje em dia é possível entrar em alguns investimentos com R$ 1.
  • Não esqueça de montar a reserva de emergência. É um dinheiro que vai te salvar em qualquer imprevisto e evita dívidas.
  • A própria reserva é um investimento, mas tem de ser fácil de resgatar: Tesouro Selic ou CDBs de liquidez diária de bancos digitais que paguem no mínimo 100% do CDI.

5) Transforme sonhos em metas

  • Para evitar gastos, liste os sonhos como metas de curto, médio e longo prazo. Assim, você pode se planejar para ter o dinheiro e saber quanto custa o que quer realizar.
  • Você quer viajar pelo mundo? Comprar um carro? Viver de renda para o resto da vida? Então faça as contas para que pague sem se endividar.

6) Elimine investimentos ruins

  • Título de capitalização, consórcio e poupança são três produtos bancários de que você precisa se livrar ou nunca entrar.
  • Nathalia afirma que são uma forma de o seu dinheiro quase não render e isso pode prejudicar suas metas.

7) Aplique a fórmula 70/30

  • A fórmula consiste em destinar 70% do que você ganha para cobrir os seus custos no presente e 30% para garantir o seu futuro.
  • Se a sua renda mensal é de R$ 3.000, então R$ 2.100 devem ser o seu teto de gastos. Enquanto os R$ 900 restantes seriam para os investimentos.
  • O guia prático coloca que, dos 70%, 55% são para os gastos essenciais, 5% para educação complementar e 10% para gastar com o que quiser se estiver no azul ou pagar dívidas.
  • Os 30% são separados em 20% para as metas e 10% para a aposentadoria ou independência financeira.

8) Renegocie as dívidas

  • Estude os números da dívida antes de falar com o banco. É preciso saber qual o valor atual, quanto pagou e quanto você quer pagar ao todo.
  • Nathalia diz que, caso tenha uma dívida antiga, jogue o valor lá no chão, já que o banco não esperava mais reaver esse dinheiro.
  • Tenha em mente o máximo que pode aceitar na negociação. E lembre que você pode levá-la para outra instituição que ofereça juros menores, por meio da portabilidade de crédito.

Essas pequenas atitudes são algumas das descritas no livro "Guia Prático Me Poupe!", de Nathalia Arcuri.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.