IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Ações do Magazine Luiza caem após prejuízo; o que fazer?

Lílian Cunha

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/05/2023 17h21

O Magazine Luiza (MGLU3) teve prejuízo de R$ 391,2 milhões no primeiro trimestre de 2023. É uma perda 142,5% maior que nos mesmos meses de 2022.

As ações da varejista caíam 16,21%, para R$ 3,67, repercutindo o quinto prejuízo trimestral consecutivo. Foi a maior perda que a empresa já teve nos meses de janeiro, fevereiro e março desde que a companhia entrou para a Bolsa de Valores de São Paulo, em 2011.

O que aconteceu com o Magalu

A perda veio mesmo com aumento de vendas. O volume bruto de mercadorias (GMV) total aumentou 10% em relação ao ano anterior. O GMV leva em conta o número de mercadorias vendidas - e não seu valor.

Já a receita líquida consolidada subiu bem pouco. A entrada de dinheiro por todos os canais de venda - ficou em R$ 9,1 bilhões, 3,5% a mais em relação ao ano anterior.

O que levou ao prejuízo foi o resultado financeiro. O Magalu teve que voltar a pagar a diferença de alíquota de ICMS nas vendas interestaduais) e ainda queimou R$ 3,2 bilhões devido do caixa, segundo a empresa, devido à sazonalidade (desconto de recebíveis no trimestre).

Tudo isso fez a Genial investimentos chamar o resultado de "assustador". "Ao somarmos o efeito de uma receita menor, rentabilidade menor e despesas financeiras maiores que o estimado, a companhia reportou um prejuízo líquido duas vezes maior que a nossa estimativa", publicou a Genial.

O que pode acontecer com as ações?

A ação da varejista deve entrar em declínio nesta semana e possivelmente nas próximas, segundo as casas de análises e bancos.

Isso reverteria os ganhos deste ano. Desde janeiro, com a recuperação judicial das Americanas (AMER3), os papéis do Magalu subiram 42%.

O Itaú BBA não recomenda nem a compra, nem a venda da ação. "O resultado final ficou abaixo de nossa estimativa conservadora devido a um resultado financeiro mais pesado, com recebíveis com desconto maior", analisou o banco em documento para acionistas.

É a mesma recomendação do Goldman Sachs. A Genial também tem recomendação neutra, com preço alvo estimado em 12 meses de R$ 5.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.