Topo

Finanças pessoais


Nubank vai lançar empréstimo pessoal na próxima semana

Divulgação
Imagem: Divulgação

Felipe Marques, Julia Leite e Cristiane Lucchesi

07/02/2019 18h10

(Bloomberg) -- O Nubank vai começar a oferecer empréstimos aos clientes a partir de segunda-feira (11), de acordo com David Vélez e Cristina Junqueira, cofundadores da fintech.

O plano é emprestar a taxas mais baratas que as do mercado, permitindo que clientes contratem as operações com apenas alguns cliques no celular, afirma Vélez.

Inicialmente, os juros estarão entre 2,1% e 5% ao mês e os empréstimos serão oferecidos a cerca de 600 mil clientes da base da empresa. O objetivo é ir gradualmente expandindo o número de potenciais tomadores e reduzindo as taxas, disse Junqueira.

Dados do Banco Central mostram que a taxa de juros média para operações de crédito pessoal sem desconto na folha de pagamento foi de 6,3% em dezembro, dado mais recente disponível.

A aposta do Nubank é usar as informações que tem dos clientes, combinadas aos seus modelos estatísticos, para conseguir cobrar menos que os competidores mas mantendo a inadimplência sob controle --criando taxas sob medida para cada tomador, a depender do seu risco.

Empréstimos a partir de R$ 30

O Nubank tem hoje pouco mais de 6 milhões de clientes, o quinto maior emissor de cartões de crédito no país. A ideia também é permitir empréstimos com tíquetes menores, começando em até R$ 30.

"O que acontece hoje no mercado brasileiro é que os bons pagadores acabam subsidiando aqueles com um risco ruim", disse Vélez.

O Nubank vem aumentando o leque de serviços financeiros que oferece, acirrando a competição com os grandes bancos. Criada em 2013, a fintech, que inicialmente contava apenas com cartões de crédito sem tarifas, hoje tem débito, programa de fidelidade e uma conta digital.

A empresa também conseguiu uma licença de financeira, o que permitirá que use depósitos dos clientes como "funding" para operações de empréstimo pessoal e no cartão.

Saiba o que é a verticalização, que trava concorrência no setor bancário

UOL Notícias

Mais Finanças pessoais