IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Conselho da OSX aprova pedido de recuperação judicial e convoca acionistas

Do UOL, em São Paulo

08/11/2013 19h29Atualizada em 08/11/2013 19h39

O Conselho de Administração da OSX (OSXB3), do ex-bilionário Eike Batista, aprovou nesta sexta-feira (8), em caráter de urgência, o ajuizamento de pedido de recuperação judicial na capital do Rio de Janeiro, em conjunto com suas controladas, OSX Construção Naval S.A. e OSX Serviços Operacionais Ltda., segundo comunicado ao mercado

A empresa convocou uma assembleia de acionistas para o dia 28 de novembro para ratificar o pedido de recuperação judicial. 

A empresa também informou a demissão de Marcelo Gomes do cargo de diretor-presidente, e sua substituição por Ivo Dworschak Filho. Outra mudança é a contratação da consultoria Angra Partners para coordenar e assessorar a reestruturação da companhia, no lugar da Alvarez & Marsal.

A recuperação judicial, antiga concordata, é uma opção para empresas que estão em crise, mas acreditam ter chances de sobreviver se forem acionadas algumas medidas.

Na semana passada, a petroleira OGX (OGXP3), que já foi a principal empresa de Eike, entrou com pedido de recuperação judicial, depois de meses de negociação, sem acordo, com seus credores. É o maior processo de recuperação judicial já feito no Brasil. 

A OSX, cujos ativos incluem um estaleiro inacabado no Porto de Açu, no norte do Rio de Janeiro, é uma das principais credoras da OGX. Quase todos os negócios da OSX dependem da OGX, uma vez que a empresa de construção naval foi criada para fornecer plataformas de produção à petroleira.

No fim da semana passada, a OSX admitiu que poderia exercer o direito legal à recuperação judicial, caso a administração da companhia considerasse a medida adequada para a continuidade dos negócios.

Estaleiro rolou dívida com bancos

A OSX informou, na quarta-feira (6), que sua subsidiária OSX Construção Naval renovou um empréstimo de R$ 461,4 milhões com a Caixa Econômica Federal destinado à implantação da Unidade de Construção Naval no Porto do Açu, no Rio.

Segundo comunicado, a renovação do empréstimo vale por 12 meses a partir do vencimento original, em 19 de outubro deste ano.

O contrato de garantia firmado com o banco Santander também foi adiado pelo mesmo prazo.

Um outro empréstimo-ponte de valor parecido obtido pela mesma subsidiária com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve seu vencimento prorrogado em 15 de outubro por 30 dias, e tem garantia pelo Banco Votorantim.

(Com Reuters)