IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Todos a Bordo


Como os aviões decolam e pousam? Vídeo da Airbus mostra passo a passo

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/09/2019 11h06

Resumo da notícia

  • A decolagem e o pouso são as fases mais complicadas do voo e exigem atenção redobrada dos pilotos
  • Antes de acionar os motores, os pilotos checam o clima, quantidade de passageiros e combustível necessário
  • Com tudo em ordem, fazem o taxiamento até a pista. Lá, acionam flapes e slats, dão potência nos motores e liberam os freios das rodas
  • A velocidade é o que faz o avião ganhar sustentação e decolar. No ar, os jatos comerciais chegam a 900 km/h
  • Próximo ao destino, começam a descida e precisam diminuir a velocidade. Para isso, acionam novamente os flapes e slats e freio aerodinâmico
  • Antes de tocar a pista, o avião levanta o nariz para perder ainda mais velocidade. Já em solo, são acionados o reverso e os freios das rodas

A decolagem e o pouso são as fases mais complicadas de um voo e quando ocorre a maioria dos acidentes com aviões. Nesse momento, os pilotos estão com atenção redobrada para que nada saia errado. Para explicar como funcionam essas fases tão delicadas, a Airbus preparou um material educativo que mostra, passo a passo, os principais procedimentos feitos pelos pilotos (veja o vídeo acima).

O vídeo da Airbus começa brincando que os aeroportos têm grandes catapultas para lançar os aviões no ar. Claro que não é assim. A decolagem começa com muita preparação por parte dos pilotos, que precisam verificar as condições do clima durante a rota e o número de passageiros, malas e carga, para calcular o peso total e a quantidade de combustível necessária para o voo.

Avião consome, em média, 12 litros por quilômetro

Segundo a Airbus, um avião comercial consome, em média, 12 litros a cada quilômetro. Um carro de passeio na estrada pode ter uma relação completamente oposta, sendo capaz de rodar 12 quilômetros com apenas um litro. Os aviões ainda precisam de combustível de reserva caso enfrentem ventos fortes, que diminuem a velocidade, ou se precisarem mudar a rota para outro aeroporto.

Antes de iniciar a decolagem, os pilotos precisam checar as condições do avião nos mínimos detalhes, com inspeções externas e internas. Eles verificam se o avião não apresenta nenhum dano estrutural e avaliam o funcionamento dos sistemas de controle de voo.

Hora da decolagem

Com o avião em ordem, os pilotos o levam até a cabeceira da pista. Esse caminho percorrido dentro do aeroporto é chamado de taxiamento. O tempo necessário depende do tamanho do aeroporto e da quantidade de aviões. Pode levar só alguns minutos ou mais de meia hora.

Com a liberação da torre de controle para a decolagem, o piloto pisa no freio, aumenta o tamanho da asa com os flapes e slats, e aplica potência máxima nos motores. Ao liberar os freios, o avião passa a ganhar velocidade na pista. A velocidade de decolagem depende do modelo do avião, do peso carregado, da temperatura do ar e da altitude da pista em relação ao nível do mar. A velocidade é essencial para que o avião tenha a sustentação necessária para o voo.

Pouso como o dos pássaros

Depois de ganhar altura, os jatos comerciais chegam a 900 km/h. Quando se aproximam do destino final, precisam começar a descer e a reduzir a velocidade para o pouso.

A Airbus compara o pouso dos aviões com o dos pássaros. O princípio em comum está no fato de ambos aumentarem o tamanho da asa e o arrasto aerodinâmico para reduzir a velocidade. Nos aviões, isso é possível com a abertura dos flapes, slats e freios aerodinâmicos. Até o trem de pouso auxilia na reta final.

Quando o avião se aproxima da pista, o piloto ainda ergue o nariz da aeronave. Depois de as rodas tocarem o solo, o reverso do motor muda a direção do ar. Com isso, a força passa a ser exercida na direção oposta ao deslocamento. O reverso atua, junto com os freios das rodas, a diminuir a velocidade do avião. "Com certeza, é mais trabalho para nós do que para os pássaros, mas o resultado é o mesmo", diz o vídeo da Airbus.

Veja como são os pousos em alguns dos aeroportos mais assustadores

UOL Notícias

Todos a Bordo