PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

'Touro de Ouro' da Bolsa é retirado após decisão da prefeitura de SP

Touro Dourado é retirado de local após decisão da prefeitura de São Paulo - Reprodução/Instagram/pablospyer
Touro Dourado é retirado de local após decisão da prefeitura de São Paulo Imagem: Reprodução/Instagram/pablospyer

Do UOL, em São Paulo

23/11/2021 22h56Atualizada em 24/11/2021 15h52

A estátua do "Touro de Ouro", instalada na semana passada em frente à sede da Bolsa de Valores, a B3, no centro de São Paulo, foi retirada na noite desta terça-feira (23).

A remoção da obra ocorreu poucas horas depois de a CPPU (Comissão de Proteção à Paisagem Urbana) concluir que o "Touro de Ouro" é uma peça publicitária e que sua instalação não foi autorizada. O placar da votação foi de cinco votos a quatro, com uma abstenção. O órgão é vinculado à Secretaria de Urbanismo e Licenciamento da prefeitura da capital paulista.

A Bolsa de Valores brasileira inaugurou a escultura na terça-feira (16). O monumento é inspirado no Touro de Wall Street, instalação em bronze no distrito financeiro de Nova York (EUA).

O projeto foi concebido pela B3, junto com o economista Pablo Spyer e o artista plástico Rafael Brancatelli. A estátua tem três metros de altura e é feita sobre uma estrutura de metal, com fibra de vidro e pintura anticorrosiva.

Em nota enviada ao UOL, a assessoria da B3 informou que a Dmaisb Arquitetura e Construção —uma das integrantes do projeto— solicitou a autorização do Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura, como evento temporário, durante o período de 1/10 a 31/12, incluindo montagem e desmontagem. Ela também conseguiu a permissão da Secretaria Municipal das Subprefeituras, por meio da Subprefeitura Sé, até 15 de fevereiro de 2022.

Os organizadores do projeto, no entanto, não haviam obtido a autorização da CPPU. A empresa só entrou com o pedido três dias depois da instalação.

Nesta terça-feira, a maioria do colegiado —que é formado por representantes do Poder Público e membros da sociedade civil— entendeu que a escultura tem caráter promocional. Um dos pontos apontados foi que um dos idealizadores, Spyer, tem o apelido de "Tourinho", é sócio da corretora XP e tem planos de fundar uma companhia de educação financeira chamada Touro Inc.

Também foi ressaltado que há uma placa na obra com o nome do empresário e um QR code que aponta para uma página com as redes sociais da B3, de Spyer e do artista Brancatelli.

Antes, o colegiado também votou, por unanimidade, para recomendar que os idealizadores da peça sejam multados. Como a CPPU não tem poder para multar, o parecer será enviado à subprefeitura, que determinará o valor da sanção.

Protestos e vandalismo

Em menos de uma semana, o Touro de Ouro foi alvo de diversos protestos. Ele amanheceu pichado com os dizeres "taxar os ricos" na quinta-feira (18), um dia depois de manifestantes colarem cartazes na escultura com a palavra "fome". Um outro grupo, este do SP Invisível, ainda promoveu um churrasco para pessoas em situação de rua em frente à estátua.

Sobre os protestos, a B3 afirmou que "o Touro de Ouro representa a força e a resiliência do povo brasileiro".

A B3 está trazendo esse novo símbolo para valorizar não apenas o centro de São Paulo, mas o desenvolvimento do mercado de capitais do Brasil, que passa pela própria história da Bolsa. O centro é o coração do mercado financeiro e, após a fusão que originou a B3, em 2017, a companhia optou não apenas por permanecer na região, como em contribuir para sua retomada.
Trecho de comunicado da B3

PUBLICIDADE
Errata: o texto foi atualizado
A matéria dizia, incorretamente, que a escultura é uma réplica do monumento do Touro de Wall Street, nos Estados Unidos. A informação foi corrigida.