PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Inflação: prévia desacelera a 0,59% em maio, mas chega a 12,2% em 12 meses

Vinícius de Oliveira/UOL
Imagem: Vinícius de Oliveira/UOL

Do UOL, em São Paulo

24/05/2022 09h02Atualizada em 24/05/2022 10h31

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), desacelerou para 0,59% em maio, após registrar 1,73% em abril. Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Considerando o acumulado dos últimos 12 meses, o índice foi de 12,20%, acima dos 12,03% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores e da meta do BC (Banco Central) para a inflação neste ano, de 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos —ou seja, variando entre 2% e 5%.

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,93%.

Segundo o IBGE, o índice de maio foi influenciado pela queda de 14,09% nos preços da energia elétrica. É a maior variação para um mês de maio desde 2016, quando o índice foi de 0,86%.

Habitação é único grupo que registra queda de preços

Segundo o IBGE, o grupo Habitação foi o único que registrou queda de preços (-3,85%), puxada pela energia elétrica (-14,09%). O resultado reflete a adoção da bandeira verde, em 16 de abril, quando não há cobrança adicional na conta de luz.

Houve aumento de 0,81% no gás encanado, consequência do reajuste de 5,95% feito no Rio de Janeiro. O IBGE também monitorou uma alta da taxa de água e esgoto (0,55%), em razão do reajuste de 12,89% em São Paulo.

Curitiba é a capital com maior recuo de preços, além de quase 18% da energia elétrica, o IBGE registrou queda nos preços de alimentos como a cenoura (-19,88%) e o tomate (-13,72%).

Alimentação sobe 1,52% em maio

O grupo de Alimentação e Bebidas ficou em 1,52% em maio, uma desaceleração se comparado ao mês de abril (2,25%). A maior influência foi dos alimentos para consumo no domicílio (1,71%).

Veja os itens que mais impactaram no resultado do IPCA-15:

  • Leite longa vida (7,99%)
  • Batata-inglesa (16,78%)
  • Cebola (14,87%)
  • Pão francês (3,84%)

Produtos que ficaram mais baratos em maio:

  • Frutas (-2,47%)
  • Tomate (-11%)
  • Cenoura (-16,19% após alta expressiva de 15,02% em abril)

Ainda segundo o IBGE, a alimentação fora do domicílio acelerou entre abril (0,28%) e maio (1,02%), principalmente por conta do subitem lanche, que teve alta de 1,89% contra 0,07% no mês anterior.

Preços dos transportes desaceleram

O maior impacto positivo (0,40 pontos percentuais) no resultado do IPCA-15 de maio foi do grupo dos Transportes, que registrou alta de 1,80% —uma desaceleração em relação a abril (3,43%).

O item que mais encareceu foi passagens aéreas (18,40%), cujos preços subiram pelo segundo mês consecutivo (em abril, a alta foi de 9,43%). Os combustíveis (2,05%) também seguem em alta, embora a variação tenha sido inferior a registrada no mês anterior (7,54%).

Segundo o IBGE, chama a atenção os aumentos da gasolina (1,24%) e do etanol (7,79%). O seguro de veículo (3,48%) já acumula 18,24% de variação no ano.

Também houve alta nos preços do táxi (5,94%), por conta dos reajustes de 41,51% nas tarifas em São Paulo e de 14,10% em Fortaleza. O metrô registrou alta de 2,17% em maio após reajuste de 12,07% nas tarifas do Rio de Janeiro.

Já o subitem ônibus urbano (0,17%) foi influenciado pelo reajuste de 11,11% no preço das passagens em Belém (4,17%).

Itens de saúde puxam resultado do IPCA-15 de maio

O grupo que mais influenciou o resultado do IPCA-15 de maio foi o de Saúde e Cuidados Pessoais (2,19%), que contribuiu com 0,27 pontos percentuais. O item que mais encareceu foi produtos farmacêuticos, com alta de 5,24% nos preços, registrado após o reajuste de até 10,89% autorizado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

Também pressionaram o resultado do IPCA-15 os itens de higiene pessoal, que apresentaram alta de 3,03%, com impacto de 0,11 pontos percentuais no índice do mês, o segundo maior.

Como é calculado o IPCA-15?

O período de coleta de preços, que acontece em estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, concessionárias de serviços públicos e domicílios (para levantamento de aluguel e condomínio), vai do dia 14 de abril a 13 de maio.

São considerados nove grupos de produtos e serviços: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário. Eles são subdivididos em outros itens. Ao todo, são consideradas as variações de preços de 465 subitens.

O IPCA-15 mede a inflação para que parcela da população?

O índice abrange famílias com rendimento mensal de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.