PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

A380, maior avião de passageiros do mundo, está de volta; onde voar nele?

A380 da Emirates: Empresa ainda é a maior operadora do modelo, que deve ganhar novo fôlego com o fim da pandemia - Divulgação
A380 da Emirates: Empresa ainda é a maior operadora do modelo, que deve ganhar novo fôlego com o fim da pandemia Imagem: Divulgação

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/07/2022 04h00

Recentemente a Lufthansa anunciou que iria retomar as operações com os Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo, para o verão europeu de 2023. Aposentado na empresa desde 2020, a companhia recebeu 14 unidades do modelo ao todo, tendo vendido seis e mantido oito preservadas em aeroportos na França e na Espanha.

A retomada dos voos com o gigante pela empresa alemã é um novo respiro para o avião, que parou de ser produzido e teve sua última unidade entregue em 2021. A empresa ainda não definiu quais rotas serão operadas pelo gigante, mas esse movimento se mostra não ser algo isolado, sendo adotado por outras empresas mundo afora também.

Embora a pandemia do novo coronavírus parecesse ter decretado o fim prematuro desse avião, a retomada dos voos mostrou que ele ainda pode viver mais alguns anos. Até o momento, a volta dos níveis pré-pandemia na aviação mundo afora está dando esse fôlego extra para o avião, mas nada aparente sobre retomar sua produção, já que parte da frota ainda está parada ou em vias de ser desmontada.

Nessa necessidade de ampliar a capacidade operacional, outra empresa que anunciou o retorno do A380 recentemente para sua frota é a Qatar Airways. A companhia mantinha um processo de aposentadoria do modelo em meio a uma disputa com a Airbus por supostas falhas apresentadas na pintura de seus A350, outro modelo da fabricante, e à queda na demanda.

Em comunicado, a companhia confirmou que irá reativar parte de seus A380, de maneira relutante, em decorrência do crescimento do número de passageiros no pós-pandemia. Após 18 meses sem realizar voos pela empresa, o modelo voltou a voar no final de 2021.

Assim, o número de aeronaves A380 voando pela Qatar Airways deve chegar a oito ao todo, dentro da frota composta por dez unidades do modelo.

Onde voar?

Apesar da tendência em se abandonar o modelo, quem quiser conhecê-lo pessoalmente poderá voar nele, mas apenas poucas empresas operam o A380. Além da Lufthansa e da Qatar Airways, a Emirates, localizada nos Emirados Árabes, recebeu o último exemplar fabricado do avião, em dezembro de 2021.

A Singapore Airlines também vem retomando os voos com seus A380 que estavam parados. A australiana Qantas voltou a voar com o modelo nos últimos meses, apesar de ter sucateado alguns de seus A380.

A British Airways também realiza voos com o avião, partindo, principalmente, do aeroporto de Heathrow, em Londres (Inglaterra). A japonesa All Nippon Airways irá retomar os voos ligando Tóquio a Honolulu (Havaí) feitos pelo A380 a partir do dia 1º de julho.

No Brasil, modelo é operado pela Emirates, que faz voos diários do aeroporto de Guarulhos (SP) para Dubai. Após quase dois anos sem voar para o país, o A380 retomou suas operações por aqui no final de 2021.

Infelizmente, essa é a única opção para quem quiser voar a partir do Brasil no A380. Entre as outras cidades comumente atendidas pelo avião estão Sydney (Austrália), Nova York (EUA), Paris (França), Bangkok (Tailândia), Nova Délhi (Índia), Singapura, Doha (Catar) e Seul (Coreia do Sul).

Segundo dados da plataforma de monitoramento de frotas Air Fleets, apenas Air France, Etihad, Malaysia Airlines e Thai Airways mantém seus A380 parados no solo.

Principais operadores

No mundo todo, foram entregues 251 aviões A380 pela Airbus. Até hoje, 244 ainda se encontram em condições de voo, sendo que as demais unidades foram inativadas, desmontadas ou sucateadas.

Veja a lista com os principais operadores do modelo e a quantidade entregue ao longo dos anos:

  • Emirates - 123
  • Singapore Airlines - 24
  • Lufthansa - 14
  • British Airways - 12
  • Qantas Airways - 12
  • Air France - 10
  • Etihad Airways - 10
  • Korean Air - 10
  • Qatar Airways - 10
  • Asiana Airlines - 6
  • Malaysia Airlines - 6
  • Thai Airways - 6
  • China Southern Airlines - 5
  • All Nippon Airways - 3

Algumas unidades sucateadas não foram completamente descartadas ou, necessariamente, recicladas. Entre os dias 13 e 15 de outubro de 2022, a Airbus fará um leilão beneficente de 500 partes de um dos A380 inativos.

Serão assentos, lâmpadas, o bar que funcionava a bordo, escadas, corrimãos, carrinhos, remos e até a corda de resgate da cabine de comando. Segundo a fabricante, a maior parte das peças pertencem ao avião de número de série MSN13, que começou a voar em 2008 pela Emirates e foi desmontado em 2021.

Ficha técnica

Modelo: A380
Fabricante: Airbus
Comprimento: 72,7 metros
Altura: 24,1 metros
Envergadura (distância de ponta a ponta da asa): 79,8 metros
Capacidade: Até 853 passageiros, mas cada empresa escolhe uma configuração própria, sendo que a maioria gira em torno de 500 passageiros
Capacidade máxima de combustível: 320 mil litros
Autonomia (distância máxima voada): 15 mil km
Lançamento: Dezembro de 2000
Unidades entregues: 251
Entrada em serviço: 25 de outubro de 2007, pela Singapore Airlines
Velocidade: Cerca de 1.000 km/h

Curiosidades sobre o A380

  • Apesar de esperar vender ao menos mil unidades, a Airbus vendeu apenas 251 A380
  • Ele pesa entre 510 e 575 toneladas
  • Seu comprimento é o equivalente ao de duas baleias azuis, sua largura equivale a de um campo de futebol, e tem a mesma altura que cinco girafas
  • Ele possui mais de quatro milhões de peças
  • Seus assentos são distribuídos em dois andares para os passageiros, além de ainda possuir um porão para levar carga e bagagem
  • Para conseguir levantar todo esse gigante, são necessários quatro motores, o que aumenta a necessidade de equipes de manutenção e o consumo de combustível
  • Uma das rotas mais curtas já operadas pelo A380 durava cerca de uma hora, e ligava o aeroporto de Changi, em Singapura, a Kuala Lumpur, na Malásia