ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Coluna

Reinaldo Polito

Como um candidato pode evitar conversa fiada e manter a atenção do eleitor?

Reinaldo Polito

Autor de 31 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

11/09/2018 04h00

Manter atenção dos ouvintes não é fácil. No caso dos políticos, então, a situação é ainda mais complicada. Os eleitores andam cansados da conversa fiada dos candidatos, pois estes prometem, prometem e quase nunca cumprem suas promessas.

No horário eleitoral gratuito a falta de atenção dos ouvintes e dos telespectadores chega a ser bem maior. Em poucos segundos os candidatos precisam chamar a atenção, manter a concentração e conquistar o voto. É tarefa desafiadora e, aparentemente, quase impossível.

Assim como na vida corporativa, a comunicação dos políticos também precisa ser sedutora e eficiente. O gestor tem de sensibilizar seus pares, subordinados e superiores hierárquicos para a relevância da sua proposta. O político deve convencer o eleitor a respeito da importância do seu programa.

Há três recursos matadores para conquistar a atenção dos ouvintes:

- Mostrar de maneira clara os benefícios que os ouvintes terão com a mensagem. Atenção: não basta apenas ser uma vantagem, mas sim ser o benefício que o público efetivamente deseja receber. Pouco adiantará falar, por exemplo, de vantagens materiais, se o que as pessoas querem é segurança.

- Criar expectativa sobre o que será exposto.

- Apresentar alguma novidade para manter e trazer o pensamento do público de volta para a apresentação da mensagem.

Como agir para conquistar esses objetivos

Primeiro objetivo. Alguns dos benefícios que podem seduzir os ouvintes são: dinheiro, segurança, prestígio social, perspectivas profissionais, fama, poder, consideração, reconhecimento, aprendizado. Por isso, ao falar em público o orador deve sempre fazer esta reflexão: qual a vantagem, o lucro que o público terá com a mensagem? E contar de maneira clara, sincera e convincente qual o benefício que os ouvintes irão receber.

Segundo objetivo. A expectativa será criada quando o orador revelar que algo muito interessante surgirá logo à frente. É preciso ter em mente que, se o ouvinte não tiver expectativas, não se motivará a acompanhar a mensagem.

Terceiro objetivo. A novidade deverá ser provocada pelo orador. Para isso poderá se valer da movimentação física. Por exemplo, de vez em quando, sair de uma extremidade da sala ou do palco e se dirigir à outra. Poderá também alternar o volume da voz e a velocidade da fala. Ou ainda interromper o que está dizendo e contar uma história curiosa, mesmo que não tenha ligação direta com o tema, apenas para expor algo inusitado.

Com esses recursos, usados de forma isolada ou simultaneamente, o orador ampliará as chances de manter a atenção das pessoas. Se for político, além desses recursos, para manter os ouvintes concentrados, precisará ter um passado de realizações que lhe dê credibilidade.

No caso do discurso político, o candidato, mesmo não possuindo um passado de realizações, ainda assim poderá cativar os eleitores se demonstrar sinceridade e “parecer" ser sincero para que as suas propostas possam ser acreditadas e aceitas.

Nas falas para o rádio e a televisão, onde o tempo de exposição é bastante reduzido, para conseguir algum resultado deverá passar a mensagem adequada, que em poucos segundos provoque impacto e atinja o interesse e as expectativas dos eleitores.

Parece ser um objetivo inatingível, mas a verdade é que alguns candidatos conseguem se eleger e outros não. A diferença quase sempre está na qualidade da comunicação dos vitoriosos e dos perdedores.

O mesmo vale para a vida corporativa: quem se expressa bem e consegue manter a atenção dos ouvintes, de maneira geral, obtém melhores resultados.

Para que uma apresentação seja vitoriosa e a mensagem bem-sucedida, em todas as circunstâncias, o orador deve, antes de mais nada, saber como conquistar e manter a atenção dos ouvintes, pois somente assim poderá agir para persuadi-los e convencê-los.

Superdicas da semana:

  • Procure manter a atenção dos ouvintes movimentando-se de vez em quando diante da plateia
  • Para manter os ouvintes atentos, alterne o volume da voz e a velocidade da fala
  • Ao perceber alguma queda de atenção nos ouvintes, conte uma história interessante para recuperar a concentração deles
  • Observe a reação dos ouvintes para evitar que percam a atenção

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante; “Vença o medo de falar em público”, “Oratória para advogados”, "Assim é que se Fala", "Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas", “Superdicas para falar bem” e "Como Falar Corretamente e sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva; e “Oratória para líderes religiosos”, publicado pela Editora Planeta.

Site – www.polito.com.br
Siga no Instagram - @reinaldo_polito
Siga pelo Facebook - facebook.com/reinaldopolito