PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Porcentagem dos CDBs caiu nos últimos meses: será que estão pagando menos?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

12/10/2021 04h00

A primeira pergunta que todo investidor faz é: quanto paga? E se você estiver de olho na renda fixa talvez tenha reparado que os CDBs e LCIs andam pagando um pouco menos do CDI do que foi no passado.

Mas calma que a coisa não é bem assim. A alta da Selic fez diversas instituições diminuírem essa porcentagem, mas isso não significa que a renda fixa está pagando menos!

Há alguns meses, em uma comparação entre CDBs e LCIs, comentamos no Econoweek as taxas da época: as LCIs giravam em torno de 120% do CDI, podendo chegar a 125%. Nos CDBs, a melhor taxa da época era de 155% do CDI.

Meses depois, a realidade encontrada no mercado é bem diferente. Os CDBs pagam até 140% do CDI e as LCIs, até 114% do CDI. Em algumas contas digitais também houve queda da porcentagem: a fintech PicPay, que já havia pagado 150% do CDI, diminuiu a rentabilidade da carteira digital para 130% do CDI e atualmente para 120% do CDI.

Será que a renda fixa está pagando menos? Vamos entender.

Como funciona a rentabilidade

Antes de mais nada, você precisa saber que existem três tipos de rentabilidade da renda fixa: prefixada, pós-fixada e de inflação (ou híbrida). A rentabilidade que irei abordar na coluna é a pós-fixada, aquela que segue algum índice de referência.

Nesse caso, tanto CDBs quanto LCIs costumam acompanhar o CDI, uma taxa de juros próxima à taxa Selic. Esta, por sua vez, é a taxa de juros básica da economia.

Se o juro Selic sobe, o CDI passa a pagar mais. Ao contrário, se a Selic cai, o CDI passa a render menos.

Outro detalhe importante é que ao aplicar nesses papéis você se depara com a informação de que o investimento lhe paga um porcentual do CDI, por exemplo, 90%, 100% ou 110% do CDI.

Com o CDI atual de 6,15% ao ano, se o CDB fala que paga 100% do CDI o rendimento será do CDI completo (6,15%). Caso o CDB pague 90% disso, a rentabilidade será um pouco menor. Basta multiplicar 90% por 6,15%, o que resulta em 5,54%.

Se o CDB pagar 110% do CDI, o retorno fica um pouco maior do que a taxa cheia. Nesse caso, multiplique 110% por 6,15%, o que dá 6,77%.

Parece básico, mas é importante a pessoa entender isso para não achar que o rendimento é de 100% ou 110% ao ano. Na verdade, é de 100% ou 110% do CDI.

Por que a porcentagem caiu?

Nos últimos meses a taxa básica de juros da economia, a Selic, que já mencionei, subiu para o governo tentar segurar a alta de preços, nossa conhecida inflação.

Com a alta dos juros Selic, o CDI subiu junto. Para as instituições ficou meio inviável continuar pagando 150% do CDI. Assim, elas diminuíram o porcentual, mas como os juros subiram, em teoria, o efeito se anula.

Na verdade, o juro CDI subiu tanto que mesmo o percentual atual sendo menor agora a renda fixa paga mais.

Confuso? No vídeo acima navegamos por uma planilha calculando a rentabilidade atual dos CDBs e LCIs. Ambos ganham do que foi o retorno no passado.

Você investe em renda fixa? Em qual título? Comente abaixo ou nas nossas redes sociais (Instagram ou YouTube).

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL