PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Cansado da poupança? Conheça dois investimentos que rendem mais

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

22/10/2021 04h00

Arrisco dizer que a primeira aplicação de quase todo brasileiro na vida foi a conhecida caderneta de poupança. Sim, a poupança é investimento!

Além de no passado não existirem tantas opções, a poupança é atrelada à conta corrente, ou seja, é cômodo investir por ali, apesar de a rentabilidade ser ruim.

No mês em que se comemora o Dia Mundial da Poupança, no dia 31, a coluna traz duas opções de investimento que rendem mais.

Quando falei em Dia Mundial da Poupança, você pensou na caderneta? Esqueça o produto! Ele nem existe em outros países. Na data, a ideia é falar sobre o ato de poupar.

Quanto rende a poupança?

A poupança pode render de duas maneiras, a depender de quanto está a taxa básica de juros, a Selic. Como na data de gravação desse vídeo a Selic está abaixo de 8,5% ao ano, vale a regra na qual o rendimento da caderneta é de 70% da taxa Selic.

O que você precisa saber é que o rendimento mensal está em torno de 0,30%, o que dá anualmente 3,66%.

Se aplicasse R$ 10 mil na poupança, teria um rendimento de R$ 1.370,76 em três anos. Ou seja, no total, resgataria R$ 11.370,76, já líquidos já que não há taxas ou impostos.

Tesouro Direto

A primeira opção mais rentável que destaco é o Tesouro Direto, mais especificamente o Tesouro Selic 2024, indicado para investidores iniciantes e que estejam formando a reserva de emergência.

Trata-se de um título público. Assim, você estará emprestando dinheiro para o governo investir em saúde, transporte, auxílios, entre outros.

A rentabilidade acompanha a Selic. Para efeito de cálculo, vamos considerar que o juro se manteve em 6,25% no período, taxa do dia de gravação desse vídeo. Nesse caso, a rentabilidade é o juro cheio e não mais só 70%, como na poupança.

Em três anos, a pessoa conseguiria resgatar R$ 12.064,71 líquidos, ou seja, já sem impostos.

CDB

A segunda opção, também muito segura, é o CDB ou Certificado de Depósito Bancário. Nesse caso, quem investe também está emprestando dinheiro, mas para um banco.

Há muitas opções de títulos no mercado, desde as que têm liquidez diária até as que devolvem o dinheiro só no vencimento. Em geral, se você conseguir se planejar para pegar o dinheiro lá na frente, melhor para o seu bolso, pois a rentabilidade costuma ser um pouco maior.

Se investir R$ 10 mil em um CDB que paga 145% do CDI, algo encontrado no mercado nessa época pré- Black Friday, em três anos conseguirá resgatar R$ 12.519, uma diferença de 84 % para a caderneta.

Entre prefixados, a simulação considerou uma taxa de 12,5%. O valor final após impostos ficaria em R$ 13.602 em três anos.

No vídeo acima, mostramos o cálculo e onde encontrar CDBs com boas rentabilidades.

Você pode pedir novas simulações nas nossas redes sociais: Instagram ou YouTube.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL