PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nova Selic: quanto rendem R$ 200 por mês no Tesouro Direto

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

29/03/2022 04h00

Muita gente não investe por pensar que ter pouco dinheiro é um impedimento. A ideia é que talvez seja melhor gastar no presente do que poupar pouco para o futuro. A coluna de hoje prova que a consistência faz diferença quando falamos de investimentos de longo prazo. No vídeo abaixo, simulamos um investimento de R$ 200 no Tesouro Direto.

A renda fixa tem se tornado ainda mais interessante nos últimos meses por conta da alta da taxa Selic, o juro básico da economia. Na última reunião do Copom, a Selic subiu para 11,75% ao ano e parte do mercado acredita que ela vá passar dos 13% até o fim do ano.

A alta, que não é de hoje, ocorre como uma tentativa de segurar o aumento de preços, a temível inflação. Você já deve ter reparado que tudo tem ficado mais caro: gasolina, comida, aluguel, etc.

Alta do juro

A maneira como o Banco Central tenta segurar essa alta de preços é aumentando o juro para que as pessoas gastem menos e tomem menos crédito. Mas o que isso significa para os investimentos?

Se você falou maior rentabilidade, está correto. O juro Selic é uma referência para o retorno das aplicações de renda fixa. Na prática, se a Selic sobe, o rendimento sobe junto, assim como se o juro cai, o rendimento diminui.

Exemplos de investimentos que são impactados são o Tesouro Direto, CDB, LCI, entre outros.

Há um ano, a Selic estava em 2,75% ao ano, uma diferença de 9 pontos para o juro atual, de 11,75%. Em outras palavras, no passado, se você investisse em algo que pagasse 100% da Selic, ia ganhar 2,75% em um ano. Já atualmente, esse mesmo investimento está rendendo 11,75%, mais de 4 vezes mais.

Investir pouco dinheiro

Você já teve a sensação de que não valia a pena investir porque ia aplicar muito pouco dinheiro? Isso em economia está ligado ao conceito de escolha intertemporal. Traduzindo: você acaba preferindo ter um "ganho" (um prazer) no presente ao invés de fazer um esforço no presente e guardar dinheiro para só no futuro ter um ganho ainda maior.

Muita gente passa por isso, mas você já pensou que se adiar o início do investimento vai ter de se esforçar muito mais para juntar a mesma quantia?

Se começar aos 20 ou 30 anos, vai precisar guardar um pouquinho por mês. Caso espere ganhar bem, talvez comece a investir aos 40, 50 ou 60 anos e vai ter de guardar muito mais para juntar o mesmo valor.

Para te provar que vale a pena investir pouco, suponha que você tenha R$ 200 por mês para aplicar no Tesouro Direto.

O Tesouro é uma plataforma do governo de venda de títulos públicos. Quando você investe nisso está emprestando dinheiro para o governo para ele pagar os gastos, construir hospital, comprar vacina e fazer o que quiser.

Por outro lado, você não vai emprestar o dinheiro de graça. O governo se compromete a devolvê-lo em uma data futura, mais um rendimento. Detalhe que na hora em que você investe já fica sabendo quando vai receber isso de volta.

Se você investir R$ 200 no Tesouro Prefixado 2029 (a data mais distante disponível atualmente), no total você aplicaria R$ 16.400. O dinheiro teria rendido e virado quase R$ 25 mil. Após os descontos de impostos e taxas, você receberia de volta R$ 23.476, o que significa R$ 4 mil a mais do que na poupança.

No vídeo acima, fizemos a simulação com outros tipos de investimentos no Tesouro Direto. Todos ganharam da poupança.

Guerra na Ucrânia

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia é um dos motivos para que muitos economistas estejam revendo as projeções para a Selic. Com o conflito, a expectativa de alta de preços aumentou e, com isso, o juro deve subir ainda mais.

No vídeo abaixo, traduzimos o que isso significa para os três diferentes tipos de renda fixa: prefixada, pós-fixada e de inflação.