PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quanto rendem os novos títulos do Tesouro Direto?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

12/04/2022 04h00

O investidor que entrou no site Tesouro Direto nos últimos meses tomou um susto, pois alguns títulos públicos sumiram. Calma! Todo ano o Tesouro faz isso: tira alguns investimentos e coloca outros no lugar. A coluna de hoje traz um resumo de quanto rendem essas novas opções de títulos do Tesouro Direto.

Tesouro Prefixado

Nesse tipo de investimento foi onde houve mais troca de opções. Saíram os títulos com vencimento em 2024 e 2026 e entraram os novos que vencem em 2025 e 2029. Com cerca de R$ 30 é possível começar a aplicação.

Vale lembrar que no Tesouro prefixado o juro é fixo, ou seja, o retorno não muda independentemente do que acontecer com a economia. Atualmente está em pouco mais de 12% ao ano, conforme mostramos no vídeo.

Além dessas duas opções, um terceiro título do Tesouro Prefixado foi trocado: o de juros semestrais. Quando um título recebe esse sobrenome de "juros semestrais" significa que o dinheiro que você investiu vai ser pago no vencimento, mas o rendimento é adiantado.

Antes o Tesouro Direto oferecia uma opção de título prefixado com juros semestrais com vencimento em 2031. Agora, o que você vai encontrar é o de vencimento em 2033.

Em resumo, as opções ficaram mais longas. O intuito do Tesouro é ter mais tempo para pagar os novos investidores além de incentivar você a investir pelo longo prazo.

Se você clicar no botão "simule", ao lado de cada título, consegue fazer a conta de quanto rende o investimento. Ao simular a aplicação de R$ 500 por mês no Tesouro Prefixado 2025, no vencimento você poderia sacar R$ 19.500, cerca de R$ 1 mil a mais do que na poupança.

No Prefixado 2029, ao investir R$ 500 por mês, no final o valor teria virado pouco mais de R$ 58 mil, uma diferença de R$ 10 mil para a poupança.

Já no Tesouro Prefixado 2033, a diferença sobe para R$ 18 mil, sendo que você poderia sacar R$ 113 mil.

Tesouro Selic

Entre os investimentos pós-fixados, também houve mudança. O Tesouro Selic 2024 não está sendo mais vendido. No lugar, você encontra uma opção para 2025.

Esse tipo de título acompanha a Selic, o que significa que se a taxa subir, o rendimento aumenta; se ela cair, o rendimento diminui.

Para você investir no Tesouro Selic precisa de pouco mais de R$ 100, mas vamos seguir fazendo a simulação com R$ 500 por mês. Ao aplicar a mesma quantia todos os meses, o novo título Tesouro Selic permite que o investidor resgate quase R$ 20 mil.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA também ganhou um ano de prazo. Antes, o Tesouro IPCA com juros semestrais vencia em 2031. Esse título parou de ser vendido, mas agora você encontra a opção do Tesouro IPCA com juros semestrais 2032.

No Tesouro IPCA, o rendimento é formado por duas partes: um juro fixo, que no caso desse investimento tá em quase 6%, mais a inflação medida pelo IPCA, que é o principal indicador de alta de preços aqui do Brasil.

Para começar a investir, você precisa de uns R$ 40, mas seguindo os R$ 500 por mês das outras simulações, ao final você teria R$ 92 mil depois de impostos e taxas, praticamente R$ 11 mil a mais do que na poupança.

Sair da poupança

Percebeu que em todas as comparações a poupança perdeu para o investimento? Hoje em dia há muitas opções que ganham da caderneta. Separamos algumas delas no vídeo abaixo.