Bolsas

Câmbio

Dólar cai 0,76% e fecha abaixo de R$ 3,50; é o 4º dia sem intervenção do BC

Do UOL, em São Paulo

O dólar comercial fechou esta quinta-feira (28) em queda de 0,76%, cotado a R$ 3,498 na venda. Na véspera, o dólar havia fechado em alta de 0,15%.

Na semana, a moeda norte-americana acumula queda de 2,04% e, no mês, de 2,74%. 

Foi o quarto dia consecutivo em que o Banco Central não atuou no mercado de câmbio. 

O mercado também foi influenciado pela cena política do país, à espera dos próximos passos do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado.

Na véspera, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu manter a taxa básica de juros (Selic) em 14,25% ao ano, como esperado pela maior parte dos analistas de mercado. O banco central norte-americano também decidiu não mexer na taxa de juros do país.

Cenário político

Os investidores aguardavam desdobramentos políticos no Brasil, à espera de mais nomes que devem compor a equipe econômica em um eventual governo de Michel Temer, caso o impeachment da presidente Dilma Rousseff seja confirmado.

Temer já afirmou que o ex-presidente do BC Henrique Meirelles deve ser o ministro da Fazenda.

"O mercado já tem em mente que o processo de impeachment vai avançar, mas vai ficar aguardando novidades", disse José Carlos Amado, operador da corretora Spinelli, à agência de notícias Reuters.

Ausência do BC

Pelo quarto pregão consecutivo, o BC não anunciou intervenções no mercado cambial.

Desde a semana passada, a autoridade monetária já vinha tirando o pé do acelerador, depois de atuar intensamente no mercado, principalmente usando leilões de swaps cambiais reversos, equivalentes à compra futura de dólares.

Copom mantém juros 

Na noite de ontem, o BC decidiu manter a taxa básica de juros em 14,25% ao ano em decisão unânime. Em seu comunicado, disse que "reconhece os avanços na política de combate à inflação", mas que ela ainda está muito alta para permitir uma queda nos juros.

A Selic influencia todos os juros do país, mas é só uma referência: as taxas cobradas dos consumidores são muito mais altas. Economistas dizem que a poupança está ruim como investimento, e o melhor são os fundos de investimento.

Cenário externo

Nos Estados Unidos, o Fed também manteve a taxa de juros do país ontem, entre 0,25% e 0,50%. A leitura de que o BC norte-americano não tem pressa em elevar os juros favorece mercados emergentes, como o Brasil. 

Ainda no exterior, o banco central do Japão decidiu manter a taxa de juros em -0,1%.

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos