Topo

Cotações


Cotações

Dólar sobe 0,83% e fecha cotado a R$ 3,889, maior valor em duas semanas

Do UOL, em São Paulo

2019-04-12T17:17:50

2019-04-12T17:53:54

12/04/2019 17h17Atualizada em 12/04/2019 17h53

O dólar comercial terminou o dia em alta de 0,83%, cotado a R$ 3,889 na venda. É o maior valor em duas semanas --em 29 de março, a moeda norte-americana fechou o dia cotada a R$ 3,915. Na semana, o dólar acumula alta de 0,42%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, se refere ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Reforma da Previdência

O mercado de dólar foi afetado pela possibilidade de adiamento da votação do relatório sobre a reforma a Previdência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, prevista para a próxima semana.

Governistas querem realizar a votação já na próxima terça-feira, mas ainda não há acordo com deputados do chamado centrão. O parecer do relator diz que a reforma respeita a Constituição. Três deputados da oposição já apresentaram votos em separado dizendo que reforma é inconstitucional.

Rodrigo Maia sob suspeita

Também pesou no mercado a notícia de que perícias feitas em sistemas da Odebrecht mostraram transferências no valor de R$ 1,45 milhão supostamente feitas ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e a seu pai, o vereador carioca César Maia.

"É um homem forte, por ser presidente da Câmara, então qualquer notícia em cima dele vai fazer o mercado ficar mais nervoso e mais volátil, além de reduzir a confiança de investidores na aprovação da Previdência", afirmou o diretor de câmbio da Ourominas, Mauriciano Cavalcante, à agência de notícias Reuters.

Atuação do BC

O Banco Central vendeu o lote integral de 5.350 contratos de swap cambial tradicional (equivalentes à venda de dólares no mercado futuro) ofertados nesta sessão. Em dez leilões neste mês, o BC já vendeu US$ 2,675 bilhões de dólares nesses contratos. O lote a expirar em 2 de maio é de US$ 5,343 bilhões de dólares.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Mais Cotações