IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Cotações


Dólar cai 1% e fecha a R$ 3,86; Bolsa sobe ao maior nível em 3 meses

Do UOL, em São Paulo

18/06/2019 17h10

O dólar comercial fechou o dia em queda de 1,05%, a R$ 3,86 na venda. É a maior queda percentual diária em mais de duas semanas, desde 31 de maio (-1,37%).

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, terminou o dia em alta de 1,82%, a 99.404,39 pontos, após duas quedas seguidas. É maior nível em três meses, desde 19 de março deste ano (99.588,37 pontos). Também é a primeira vez, desde março, que a Bolsa chega ao patamar dos 99 mil pontos.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Vale ganha quase 4%

As ações da mineradora Vale subiram 3,59%, puxadas pela alta nos preços do minério de ferro no exterior. Os bancos Itaú (2,59%), Banco do Brasil (2,34%) e Bradesco (0,86%) também registraram avançaram. Os papéis da Petrobras fecharam com valorização de 1,53%. Essas empresas têm forte peso no Ibovespa.

Juros nos EUA e no Brasil

Influenciou o mercado a expectativa para a reunião do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos) amanhã. A expectativa é que o banco mantenha os juros por lá, mas sinalize um eventual corte das taxas.

Juros mais altos tendem a atrair para os EUA recursos atualmente investidos em outros países, como o Brasil. Por outro lado, um corte de juros nos EUA pode favorecer investimentos em outros mercados.

No Brasil, o Banco Central definirá a Selic, a taxa básica de juros, também amanhã. A expectativa predominante no mercado é de manutenção da taxa no patamar atual, de 6,5% ao ano. A última alteração na Selic ocorreu em março de 2018, quando a taxa caiu de 6,75% para 6,5% ao ano. Desde então, o BC manteve os juros em nove reuniões seguidas.

Apesar da expectativa de manutenção da taxa agora, crescem no mercado as apostas de que o BC vai cortar os juros em breve.

Também é foco das atenções o início das discussões sobre o parecer do relator à reforma da Previdência, apresentado no fim da semana passada, na comissão especial.

Atuação do BC

O anúncio do BC de realização de leilões de linha também concentra atenção de investidores. Hoje, o BC fez a rolagem do lote integral de US$ 2 bilhões ofertado em dois leilões de linha de moeda estrangeira com compromisso de recompra.

Amanhã, realizará outros dois leilões com a mesma finalidade, ofertando um total de US$ 2 bilhões novamente.

O BC também vendeu hoje todos os 5.050 contratos de swap cambial tradicional ofertados em rolagem do vencimento julho. Em 34 operações, o BC já rolou US$ 8,585 bilhões, de um total de US$ 10,089 bilhões a expirar em julho. O estoque de swaps do BC no mercado é de US$ 68,863 bilhões.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Cotações