PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Dólar vai a R$ 4,321 e renova máxima nominal de fechamento; Bolsa cai 1,23%

Getty Images/Bill Oxford
Imagem: Getty Images/Bill Oxford

Do UOL, em São Paulo

07/02/2020 17h01Atualizada em 07/02/2020 18h20

Em dia de cenário externo positivo e desaceleração da inflação no Brasil, o dólar comercial terminou a sessão em alta de 0,82%, a R$ 4,321 na venda. Com isso, a moeda americana renova seu recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento, que havia sido batido ontem (R$ 4,286).

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrou queda de 1,23% neste pregão, chegando aos 113.770,29 pontos. É a maior desvalorização diária para o indicador em fevereiro, superando a baixa de 0,72% registrada ontem.

No ano, o dólar já acumula valorização de 7,67% frente ao real. O Ibovespa, por sua vez, caiu 1,62% desde o início de 2020.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, se refere ao dólar comercial. Para turistas, que precisam comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é mais alto.

Em casas de câmbio de São Paulo, por exemplo, o dólar em dinheiro vivo chegou a custar R$ 4,50 hoje, já considerado o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Para quem compra no cartão pré-pago, o valor era ainda maior: R$ 4,72.

No caso de quem precisa comprar euro, os preços chegaram a R$ 4,94 no dinheiro e a R$ 5,18 no cartão pré-pago.

Os valores foram consultados pela reportagem no site MelhorCâmbio.com por volta das 10h30 de hoje.

Dólar superou emergentes

No exterior, o dólar ganhou de boa parte das moedas de países emergentes, como o peso mexicano e a lira turca, por exemplo. A força da moeda americana se espalhou para os mercados brasileiros, prejudicando o real.

"É um movimento global: o dólar sobe lá fora, e, ao mesmo tempo, há uma dinâmica ruim no cenário doméstico para o real", disse Cleber Alessie Machado, operador da corretora Commcor, à agência Reuters . "Nosso diferencial de juros é muito ruim em relação a nossos pares, não há fluxo estrangeiro e não temos grau de investimento", completa.

No cenário interno, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de janeiro, segundo divulgado hoje pelo IBGE, ficou em 0,21%, o que mostra desaceleração frente a dezembro (1,15%). É o menor índice para o mês desde a criação do Plano Real, em 1994.

*Com Reuters

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Bolsa da China tem queda mais expressiva em quase 5 anos

Cotações