IPCA
0.75 Mar.2019
Topo

Empreendedorismo


ONU lança Dia do Empreendedorismo Feminino e nomeia embaixadora gaúcha

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

2014-11-18T06:00:00

18/11/2014 06h00

A ONU (Organização das Nações Unidas) lança nesta quarta-feira (19), em Nova York, o Dia Global do Empreendedorismo Feminino, que será comemorado simultaneamente em 153 países, entre eles, o Brasil. Aqui, o evento oficial acontece em Porto Alegre (RS), cidade de Deb Xavier, 28, uma das 66 empreendedoras nomeadas a embaixadora da data no mundo.

Além de ajudar a organizar o evento no país, junto com a Endeavor e o Sebrae (Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa), a função da embaixadora gaúcha é colaborar no debate de questões do empreendedorismo feminino e atuar junto ao governo para que ele perceba a importância econômica das mulheres.

“O objetivo é chamar atenção para a mulher empreendedora e o impacto econômico que ela produz. Ela contrata, investe na economia local e contribui para o desenvolvimento sustentável da economia. O dinheiro que ela ganha é investido na educação dos filhos, por isso, eu costumo dizer que a melhor maneira de investir na educação é investir nas mulheres”, diz.

A iniciativa é resultado de uma parceria entre a Semana Global do Empreendedorismo, a Fundação das Nações Unidas, o Departamento de Estado Americano, universidades e iniciativa privada. Segundo a ONU, a iniciativa surge para ampliar as oportunidades às mulheres, que têm acesso a entre 58% e 70% dos postos ocupados por homens na política, economia, educação e saúde.

Xavier é fundadora do Jogo de Damas, site sobre empreendedorismo para mulheres, que promove eventos pelo país e tem atuação internacional. O Jogo de Damas é o primeiro parceiro brasileiro do Lean In, ONG para impulsionar a carreira de mulheres. O Lean In é criado por Sheryl Sandberg, chefe operacional do Facebook, eleita a 10ª mulher mais poderosa do mundo pela "Forbes".

Negócio próprio é alternativa às desigualdades do mercado de trabalho

Para Xavier, o empreendedorismo é a saída que as mulheres encontraram para lidar com as dificuldades do mercado de trabalho e uma forma de assumir as rédeas da própria vida.

“Como ela é dona do próprio negócio e não depende de outras pessoas para seguir em frente, a discriminação é menor. Por outro lado, elas ainda enfrentam dificuldades para acesso ao crédito e a investimento-anjo, por exemplo. Por isso, apostamos na criação de redes de apoio, com fornecimento de informações e parcerias com instituições”, afirma.

As mulheres são maioria da população no Brasil (51,4%), segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Elas correspondem a 52,2% dos empreendedores do país, sendo que a maioria (66,2%) abre o próprio negócio por oportunidade e não por necessidade, segundo a pesquisa sobre empreendedorismo GEM (Global Entrepreneurship Monitor).

No mercado de trabalho, elas enfrentam dificuldades como desemprego --elas correspondem a 56,9% das pessoas sem trabalho do país-- e desigualdade de salários em comparação com homens --elas recebem o equivalente a 73,5% dos salários deles, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio). 

Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), serão necessários 87 anos para igualar os salários de homens e mulheres no Brasil se não houver investimentos em políticas de redução de desigualdades. Isso acontece mesmo elas tendo maior tempo de estudo do que os homens: 7,8 anos para elas contra 7,4 anos para eles.

Para Viviane Ferran, gerente de atendimento do Sebrae-RS (Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa do Rio Grande do Sul), o empreendedorismo é uma maneira de diminuir a desigualdade entre os gêneros.

“As dificuldades de gestão de uma empresa são as mesmas para homens e mulheres. Quando há dedicação e busca por conhecimento de mercado, o gênero é indiferente. Hoje em dia estamos avançando muito nestas questões e há muitos casos em que o negócio de uma mulher é o negócio da família”, declara.

Programação inclui palestras e entrega de prêmio

Durante o evento que marca o Dia Global do Empreendedorismo Feminino em Porto Alegre, haverá a entrega da etapa regional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios e exposição de produtos e serviços para empreendedores.

O painel "O Brasil do Futuro: Tendências de Economia, Mercado e Negócios em 2015" terá a presença de Simone Leite, empresária e vice-presidente da Federasul; Bruna Eboli, coordenadora regional da Endeavor; Wendy Carraro, economista e professora da UFRGS; Marta Sfredo, colunista de economia da Zero Hora; e Paula Quintas, pesquisadora de tendências e planejamento criativo da Catalejos.

O segundo painel, “Empreendedorismo Feminino”, tem participação de Carolina Sandler, fundadora do site Finanças Femininas; Leda Boger, diretora-executiva do Consulado da Mulher e de representantes do Sebrae.

Serviço:

Dia Global do Empreendedorismo Feminino
Data: 19/11, às 18h
Local: Hotel Laghetto Viverone – rua Doutor Vale, 579 – Porto Alegre
Inscrições: http://zip.net/bdqcDd

Mais Empreendedorismo