ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Filho de mãe solteira, trabalha desde os 11 anos e hoje fatura R$ 1,2 mi

Divulgação
Victor Vieira, 33, criou o Instituto de Especialização em Vendas, em 2014 Imagem: Divulgação

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/09/2018 04h00

Victor Vieira começou a trabalhar aos 11 anos como balconista, mas aos 14 já queria ser vendedor. Entrou na profissão, evoluiu e diz que chegou a ganhar R$ 30 mil por mês negociando carne para grandes redes de supermercado. Perdeu o emprego e teve de se virar até com espetinho de carne e rifas de ursinho de pelúcia. Hoje, aos 33 anos, é dono do IEV (Instituto de Especialização em Vendas), onde ensina a vender mais. Faturou R$ 1,2 milhão em 2017, com lucro de 23%.

O IEV, uma rede de cursos online na área de vendas, foi aberto em Bauru (SP), em 2014, com 40 alunos. Em três anos, a empresa chegou a ter nove unidades, com cerca de 240 alunos. Em 2017, Vieira transformou os cursos presenciais em online. São aulas semanais em vídeo.

Leia também:

Ganhou R$ 30 mil/mês, perdeu emprego e foi vender rifa

Filho de mãe solteira que trabalhava como faxineira, Vieira foi cedo para o mercado de trabalho: aos 11 anos como balconista numa locadora de videogame, em Lençóis Paulista (SP). Aos 14 era office-boy num frigorífico e ali descobriu os ganhos dos vendedores. “Quis ser vendedor de qualquer jeito.”

Quando completou 18 anos, pediu demissão e ganhou do chefe a indicação para ser representante de dois frigoríficos de Mato Grosso com atuação na região de Ribeirão Preto (SP). Vieira vendia carne para grandes redes de supermercado.

“Era apaixonante, fazia o meu horário, e minha comissão era de 1% sobre as vendas. E vendia muito. Cheguei a ganhar R$ 30 mil por mês, mas nessa época não tinha maturidade nem planejamento financeiro. Você ganha bem e acha que o dinheiro nunca vai acabar”, afirmou ele, que deixou de trabalhar em frigoríficos em novembro de 2005, com o problema da febre aftosa no Mato Grosso.

“Com a febre aftosa, os frigoríficos do Mato Grosso foram proibidos de vender carne para o estado de São Paulo. O negócio acabou, e eu fiquei desempregado.”

Pelúcia, espetinhos e loja de ferragens

Vieira disse que começou a vender rifas de bichos de pelúcia durante o dia e, à noite, assava espetinhos na esquina do bar de um amigo. Ele voltou para Lençóis Paulista e trabalhou como balconista numa loja de ferragens e ferramentas.

Mesmo ainda ganhando pouco, Vieira disse que optou por assinar uma revista especializada em vendas. “A assinatura custava R$ 250, mas não tinha outra opção a não ser aprender lendo a revista”, disse. Em menos de um ano, virou gerente de vendas e depois diretor comercial. Passou a ganhar R$ 7.000 e investia em cursos de vendas, workshop e palestras.

Nessa época, teve a ideia de criar o IEV, uma escola onde pudesse reunir cursos referentes a todo o processo de vendas.

A escola tem três cursos (especialização em vendas consultivas, gestão de equipes comerciais e especialização de vendas em varejo) e promove seis congressos, workshops e palestras, em média, anualmente. 

Curso de venda custa a partir de R$ 149

Cada curso no IEV tem duração de um ano. Os preços dos cursos individuais vão de R$ 149 a R$ 530 por mês. Para empresas, existem pacotes que custam a partir de R$ 997 mensais (um gestor e cinco vendedores).

Vieira disse que o IEV também implanta em empresas um programa de desenvolvimento comercial. “Fazemos um diagnóstico dos problemas de vendas naquela empresa e aplicamos a metodologia de acordo com as suas necessidades”, afirmou.

Segundo ele, o IEV tem 1.422 clientes e 36 unidades franqueadas. A empresa começou a vender franquias em setembro do ano passado. O papel do franqueado é prospectar clientes, vender o programa de desenvolvimento comercial e dar suporte a eles. Ele ganha 30% do total de contratos fechados.

O consultor de negócios do Sebrae-SP Fernando Favero, 52, disse que o franqueado deve analisar, antes de fechar negócio, se a rentabilidade que ele terá na franquia será suficiente para compensar o investimento inicial de R$ 14 mil. “O importante é que sua expectativa seja atingida.”

Confira os dados da franquia fornecidos pela empresa:

  • Investimento inicial: R$ 14 mil (inclui taxa de franquia e capital de giro)
  • Royalties: R$ 447 por mês
  • Faturamento médio mensal: R$ 55 mil
  • Lucro médio mensal: 15% sobre o faturamento
  • Prazo de retorno: a partir de quatro meses

Especialistas alertam que é preciso tomar alguns cuidados com franquias de baixo valor. Um risco comum que se corre ao comprar franquias baratas é o franqueado se tornar, na prática, um vendedor dos produtos da franqueadora, e ainda pagar taxas altas para isso.

“A maioria acha que sabe vender”, diz consultor

O consultor de negócios do Sebrae-SP afirmou que, ao transformar seus cursos presenciais em online, o IEV conseguiu abranger um mercado maior. “Cursos online eliminam a dificuldade de locomoção das pessoas, e isso alavancou os negócios da empresa”, disse. Para ele, no entanto, a empresa ainda tem de enfrentar a cultura do brasileiro de não procurar por conhecimento técnico com frequência.

“Poucas pessoas têm tino comercial de saber vender. Elas, portanto, precisam se qualificar, mas não existem no mercado tantas escolas que oferecem esse tipo de curso. E o brasileiro não tem a cultura de buscar por esse conhecimento técnico. A maioria ainda acha que sabe vender”, declarou.

Onde encontrar:

IEV - https://iev.com.br/

A rotina dos vendedores de mate nas praias do Rio

BBC Brasil

Mais Empreendedorismo